sicnot

Perfil

Economia

Caixabank reforça posição no BPI para 45,16% do capital social

O Caixabank já tem 45,16% do capital social do BPI, depois das recentes compras de ações quando tem em curso uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre o banco português, segundo o comunicado hoje feito ao mercado.

© Albert Gea / Reuters

"O CaixaBank adquiriu assim, entre 23 de junho e 30 de junho de 2016, 5.117.936 ações do BPI representativas de 0,351% do capital social e 0,353% direitos de voto do BPI", lê-se na informação divulgada através da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), em que é dito que nessas aquisições o banco espanhol gastou mais de cinco milhões de euros.

O Caixabank detém agora "657.964.542 ações do BPI representativas de 45,16% do capital social e 45,33% direitos de voto", refere a mesma nota.

Já em maio, o Caixabank tinha reforçado a sua posição no Banco BPI com várias compras no mercado.

A questão é que, apesar de o Caixabank ter quase metade do capital do BPI, os estatutos do BPI estão blindados, pelo que em assembleia-geral não pode votar com mais de 20%.

Ou seja, o Caixabank fica na prática com o mesmo poder da empresa angolana Santoro, segunda maior acionista do BPI, com cerca de 19%.

No início deste ano, o Caixabank e a Santoro tiveram longas negocições sobre a exposição do banco a Angola, onde tem o Banco Fomento Angola (BFA), uma vez que o Banco Central Europeu (BCE) exige que essa seja diminuída.

A operação em Angola é a 'joia da coroa' do BPI, sendo que no primeiro trimestre contribuiu com 37 milhões de euros para os resultados consolidados, ou seja, 77% do total dos lucros do banco liderado por Fernando Ulrich.

Depois de essas negociações terem sido rompidas sem entendimento, o Caixabank anunciou em abril uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre o banco português.

O banco espanhol oferece 1,113 euros por ação, mas a operação está condicionada à eliminação dos limites aos direitos de votos dos acionistas.

Hoje entrou em vigor o decreto-lei que facilita o fim da limitação de votos, e que foi apelidado por dos Santos de "diploma BPI". Entretanto, já foi marcada uma assembleia-geral de acionistas do BPI precisamente sobre este tema para 22 de julho.

Lusa

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.

  • Mouchão da Póvoa em risco de desaparecer
    1:58

    País

    A Câmara Municipal de Vila Franca de Xira alerta para o risco de desaparecimento do Mouchão da Póvoa, uma dos três mouchões do Tejo, no concelho. Em causa está a falta de autorização, pedida à Agência Portuguesa do Ambiente, para uma intervenção de emergência nos diques.

  • Lixo, para que te quero?
    23:17
  • Tuk-tuk em protesto oferecem hoje passeios gratuitos em Lisboa

    País

    A Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos (APECATE) promove hoje a iniciativa "Cá vai Lisboa", com passeios gratuitos de tuk-tuk, para alertar a população para a "problemática" regulamentação municipal deste tipo de veículos.

  • Ricardo Robles apresentado como candidato do BE a Lisboa
    1:31

    Autárquicas 2017

    Ricardo Robles foi formalmente apresentado este sábado como candidato do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal de Lisboa. No encerramento da convenção autárquica do partido, Catarina Martins fez críticas ao Governo, dizendo que o projeto de descentralização do Executivo é perigoso e ameaça a democracia.