sicnot

Perfil

Economia

Vendas de automóveis em Portugal sobem 11,7% em junho

As vendas de automóveis em Portugal subiram 11,7% em junho, face a igual mês de 2015, para 27.099 veículos, e crescem 17,9% no primeiro semestre, anunciou hoje a Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

(Arquivo)

(Arquivo)

"Em termos acumulados, no primeiro semestre do ano foram vendidos em Portugal 137.751 veículos automóveis, o que representou uma variação homóloga positiva de 17,9%", avançou a associação, em comunicado.

"Depois de ter registado um ritmo muito forte no primeiro trimestre do ano, devido a uma antecipação de compras de veículos ligeiros provocada pelo aumento da fiscalidade automóvel, a taxa de crescimento das vendas começou a desacelerar, reduzindo o aumento médio acumulado, tal como inicialmente previsto pela ACAP", adiantou.

A associação destacou que o "bom desempenho no setor do turismo, com os sequentes reflexos nas vendas de veículos para a atividade de 'rent-a-car' [aluguer], tem suportado parte do crescimento registado no mercado de automóveis ligeiros".

As vendas de automóveis ligeiros de passageiros atingiram 23.376 unidades em junho, uma subida 10,9% em termos homólogos, enquanto no semestre o aumento foi de 17,9% (118.631 unidades).

As vendas dos automóveis comerciais ligeiros cresceram 15,9% (3.249 unidades) em junho e 16,2% no semestre (16.609).

O total de veículos ligeiros vendidos subiu 11,5% no mês passado, face a igual período de 2015, enquanto nos primeiros seis meses do ano o aumento foi de 17,6%.

Em termos de veículos pesados, as vendas cresceram 21,2% em junho (474 unidades) e 30,6% no semestre, face ao período homólogo de 2015.

Lusa

  • Hospitais vão ser penalizados se não cumprirem tempos de espera
    2:37

    País

    O Ministério da Saúde vai penalizar os hospitais que não cumprem os tempos de espera nas urgências e que tenham taxas elevadas de cesarianas. O novo modelo de financiamento prevê ainda linhas de financiamento próprio para a obesidade e rastreios do cancro do cólon e do colo do útero.

  • Assédio, até onde vai a tolerância?
    35:26