sicnot

Perfil

Economia

Alitalia cancela 142 voos devido à greve de terça-feira

A companhia aérea italiana Alitalia anunciou hoje que vai cancelar 142 voos programados para terça-feira, na sequência de uma greve dos pilotos e do pessoal de voo marcada para esse dia.

© Tony Gentile / Reuters

Num comunicado enviado aos clientes da companhia, citado pela agência de notícias AFP, o diretor-geral da companhia aérea, Cramer Ball, lamenta os danos causados pela greve, que considera ser "incompreensível e injusta".

Segundo Cramer Ball, a greve está relacionada com o "fim de um privilégio atribuído aos pilotos e ao pessoal de voo" que permitia que pudessem "viajar gratuitamente de diferentes partes de Itália para chegar, ou sair, das bases de Roma ou Milão".

Esta decisão foi tomada, disse, para "economizar custos e em linha com o que tem vindo a acontecer com outras companhias aéreas na Europa e no resto do mundo".

Para a Federação Sindical de Transportes italiana, esta medida significa um "ataque aos direitos dos trabalhadores", sublinhando que a tripulação da Alitalia sempre "demonstrou uma grande responsabilidade e um grande profissionalismo, especialmente em tempos difíceis".

"A greve, que é a primeira em muitos anos, está relacionada com decisões que têm impacto nas condições de vida e de trabalho dos trabalhadores e que nunca são discutidas a montante", disse o secretário-geral da federação, Nino Cortorillo.

Entre essas medidas estão também um aumento do horário de trabalho, processos de despedimento individuais fora das normas e o fim dos meios concedidos para deslocações, entre outras.

Lusa

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.