sicnot

Perfil

Economia

Sindicato do pessoal de voo recusa reunir-se com SATA sem presença do presidente

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) recusou hoje reunir-se com o Conselho de Administração da transportadora aérea açoriana SATA sem a presença do seu presidente, Paulo Meneses, que se encontra em Bruxelas.

(Arquivo)

(Arquivo)

LUSA

"A reunião era especificamente com ele, podia ser com a administração toda, mas ele teria que estar presente, não houve reunião", disse à agência Lusa a presidente do SNPVAC.

Luciana Passo considerou uma "falta de respeito" para com o sindicato e "sintomático da desorganização que grassa na SATA" o facto de o sindicato não ter sido sequer avisado da ausência de Paulo Meneses.

"O presidente do Conselho de Administração tem de saber o que se passa na SATA, não sabemos nós até que ponto ele sabe ou está inteirado, e há muitas coisas a serem tratadas, muitos assuntos pendentes e recorrentes", sublinhou Luciana Passo.

A vogal do Conselho de Administração da SATA, Isabel Barata, reagiu com "estranheza" a esta posição do sindicato quando em ocasiões anteriores tem sido recorrente a ausência do presidente da companhia aérea açoriana.

"A empresa fez-se desta vez representar por dois administradores, como é normal e tem acontecido, e o sindicato entendeu que desta vez queria ter o presidente presente, estranhamos. O senhor presidente quando pode estar, está, quando não pode estar, por razões de agenda, não está. O senhor presidente está em Bruxelas, num congresso das empresas de aviação comercial regionais da Europa", explicou Isabel Barata.

Na reunião agendada para hoje, o SNPVAC queria debater vários assuntos com o presidente da companhia aérea açoriana, entre os quais "a operação e a situação laboral da SATA Internacional".

Luciana Passo afirmou que entre as questões a debater estava o plano estratégico, que "é aparentemente inexistente" e, ainda, "problemas com as tripulações, com os voos, com os tempos de trabalho, com questões fiscais e questões laborais da SATA Air Açores e da SATA Internacional".

"Eram variadíssimas questões, todas elas importantes e todas requerem uma solução urgente", sublinhou Luciana Passo.

A presidente do sindicato diz haver "falta de tripulações na SATA", o que a vogal do Conselho de Administração da companhia justifica com uma situação extraordinária de "elevado absentismo", fruto de "algumas licenças que estão previstas na lei".

Lusa

  • Primeiro-ministro hoje na cidade da Praia 

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, está hoje em Cabo Verde para a a IV cimeira bilateral entre Portugal e aquele país africano, aproveitando a passagem pela cidade da Praia para inaugurar a escola portuguesa.

  • Deputados britânicos debatem hoje petição que desvaloriza visita de Donald Trump

    Mundo

    Os deputados britânicos debatem hoje uma petição que reclama que a futura visita de Estado do Presidente norte-americano, Donald Trump, seja reduzida a uma visita oficial, enquanto dezenas de milhares de pessoas se manifestam sobre o mesmo assunto. Dezenas de milhares de pessoas são esperadas hoje nas ruas de várias cidades do Reino Unido, em protestos organizados para coincidir com a discussão no parlamento (na Câmara dos Comuns) de uma petição 'online' que já tem quase dois milhões de subscritores.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Matteo Renzi demite-se da liderança do Partido Democrático

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro italiano Matteo Renzi demitiu-se hoje da liderança do Partido Democrata (PD), uma decisão que faz parte de uma estratégia para retomar o controlo da formação de centro-esquerda, onde uma minoria mais à esquerda ameaça cindir-se.