sicnot

Perfil

Economia

Ministro do Planeamento apelida Passos Coelho e Maria Luís de "aves agoirentas"

O ministro do Planeamento, Pedro Marques, considerou hoje, a propósito das possíveis sanções de Bruxelas, que o antigo primeiro-ministro e a ex-ministra das Finanças tentam minar a credibilidade do atual Governo, de forma a limparem a sua própria imagem.

Pedro Marques, ministro da Planeamento

Pedro Marques, ministro da Planeamento

M\303\201RIO CRUZ

"Fica mal a Passos Coelho e Maria Luís, quais aves agoirentas, tentarem minar a credibilidade do atual Governo, apenas para tentarem limpar a sua própria imagem. Pela nossa parte, não nos entretemos com esses jogos e defendemos a credibilidade do país e das instituições públicas, em Portugal como na Europa", lançou o titular das pastas do Planeamento e Infraestruturas.

Pedro Marques, que falava durante o debate sobre o "Estado da Nação", no parlamento, lamentou que "nestes dias de exaltação nacional" alguns partidos "não se tenham juntado à claque nacional, por puro interesse partidário".

E realçou: "Foram longe demais. Quando se convenceram que Portugal em breve seria sancionado pelos desvios e erros da sua própria gestão, não tardaram a saltar a barreira, pararam de lutar, e alinharam de um modo oportunista com os que cá e lá tentavam justificar as eventuais sanções com a atuação do atual Governo, que bem sabem que não teve responsabilidades nos anos em avaliação".

O governante garantiu que, do lado do PS, todos preferiam que o défice de 2015 não tivesse sido superior a 3%, e que o Governo não vai parar de lutar "contra a injustiça das eventuais sanções, porque a única coisa que importa é o interesse de Portugal".

Lusa

  • Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

    País

    Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.