sicnot

Perfil

Economia

Viticultores do Douro queixam-se de avultados prejuizos devido a chuva e granizo

Viticultores do Douro queixam-se de elevados prejuízos nas vinhas por causa da "chuva torrencial e granizo" que atingiram hoje 11 aldeias do concelho de Sabrosa, distrito de Vila Real.

Giovanna Dell'Orto

Sérgio Gonçalves chegou ao final da tarde a Souto Maior e encontrou a sua vinha, inserida na Região Demarcada do Douro, "completamente destruída".

"Tenho meio hectare e este era o primeiro ano de produção que ia entregar na adega e perdeu-se tudo. Estava a trabalhar na barragem do Tua e lá não aconteceu nada disto", afirmou o pequeno produtor à agência Lusa, referindo-se à quantidade de chuva.

Foi quase uma hora de chuva intensa, acompanhada de granizo, que "esfarraparam as folhas das videiras, quebraram as varas e deitaram os cachos das uvas ao chão".

"Agora é tratar as videiras para o ano darem alguma coisa. Cicatrizarem para o próximo ano. Tenho seguro. Mas é chato andarmos a trabalhar para chegarmos e vermos tudo destruído, lamentou.

O presidente da Câmara de Sabrosa, José Marques, andou este final de tarde pelo concelho a ver os estragos provocados pelo mau tempo que atingiu 11 aldeias das freguesias de Souto Maior, Sabrosa e Vilarinho de São Romão".

"De facto é desolador ver que há aqui vinhas que estão profundamente afetadas. Presumo que temos aqui uma situação em que a produção está completamente comprometida", disse à Lusa.

Em Souto Maior, o autarca disse que pode "ver uma dimensão significativa de vinhas fortemente atingidas e depois as também hortas completamente desfeitas".

"Nota-se e bem os efeitos do granizo. As videiras estão esfarrapadas, estão fustigadas pelo granizo, pelo temporal que se abateu sobre elas. As videiras estão derreadas e nota-se que foram fortemente atingidas na folhagem e no próprio caule da planta", descreveu.

O presidente afirmou que vai pedir para que os técnicos da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAPN) se desloquem "o mais rapidamente possível ao terreno para efetuarem uma avaliação dos estragos".

José Marques referiu ainda que a força da água "era tremenda" e também provocou estragos na parte baixa da sede de concelho.

Ao longo da rua direita a água da chuva entrou em cerca de uma dúzia de estabelecimentos comerciais, algumas habitações particulares, na igreja e no rés-do-chão da câmara.

A prioridade, segundo José Marques, "vai ser desobstruir as ruas da vila e das aldeias e depois avançar para os caminhos rurais".

Lusa

  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57