sicnot

Perfil

Economia

Durão Barroso nomeado presidente não executivo da Goldman Sachs

Durão Barroso vai ser o próximo presidente do conselho de administração e também consultor do Goldman Sachs. É um dos maiores e mais polémicos bancos de investimento do mundo, com conhecidas ligações a governos, políticos e ex-políticos. A nomeação de Durão Barroso vai ser anunciada esta tarde.

© Christian Hartmann / Reuters (Arquivo)

A Goldman Sachs International anunciou hoje a nomeação de José Manuel Durão Barroso para seu presidente não executivo e consultor do banco de investimento.

"A sua perspetiva, capacidade de avaliação e aconselhamento irão acrescentar muito valor ao Conselho de Administração da Goldman Sachs International, à Goldman Sachs, aos seus acionistas e trabalhadores", refere a instituição com sede em Nova Iorque, em comunicado.

Durão Barroso foi presidente da Comissão Europeia de 2004 a 2014 e primeiro-ministro de Portugal de 2002 a 2004.

Foi eleito pela primeira vez para o parlamento português em 1985, ocupando em sucessivos governos os cargos de secretário de Estado da Administração Interna, secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, e ministro dos Negócios Estrangeiros.

Em 1999, foi eleito presidente do Partido Social Democrata e tornou-se líder da oposição.

Antes de iniciar a sua vida política, Durão Barroso assumiu várias posições académicas, entre as quais como professor convidado da Georgetown University.

Mais recentemente, sinaliza a nota, foi professor convidado de Política Económica Internacional na Universidade de Princeton.

É atualmente também professor convidado na Universidade Católica, em Lisboa, na Universidade de Genebra, e no Instituto de Altos Estudos Internacionais e do Desenvolvimento na mesma cidade.

José Manuel Durão Barroso foi reconhecido com vários graus honorários e recebeu mais de 60 condecorações, prémios e distinções, incluindo a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo e o Grande Colar da Ordem do Infante Dom Henrique.

Com Lusa

  • "Nem o Governo anterior nem o Banco de Portugal fizeram alertas sobre a banca"
    1:10

    Economia

    Numa entrevista à SIC e ao Expresso onde anuncia o abandono da vida política, Durão Barroso explica que a decisão de Portugal não ter utilizado todo o dinheiro que a troika tinha disponibilizado para a banca foi da exclusiva responsabilidade do anterior Governo e do Banco de Portugal. Barroso diz que o dinheiro esteve sempre à disposição, Portugal é que não o quis utilizar.

  • Barroso faz balanço de mais de 30 anos de carreira no adeus à vida política
    1:07

    País

    Durão Barroso diz adeus à vida política. Numa entrevista à SIC e ao Expresso, o ex-presidente da Comissão Europeia anunciou a vontade de não regressar à política e fez um balanço de uma carreira com mais de 30 anos. Sobre uma das decisões mais polémicas, a de promover a Cimeira das Lajes, Durão Barroso garantiu que Jorge Sampaio, na altura Presidente da República, sabia de tudo e concordou com a realização da Cimeira.

  • Durão Barroso vai regressar aos EUA para se dedicar ao ensino
    8:31

    País

    Numa entrevista exclusiva à SIC e ao Expresso, o ex-Presidente da Comissão Europeia anunciou que vai regressar dos Estados Unidos, onde viveu o último ano e meio, para se dedicar ao ensino e também para trabalhar no setro privado, provavelmente fora de Portugal. Na entrevista, faz também o balanço de trinta anos de vida política.

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.