sicnot

Perfil

Economia

Jerónimo de Sousa defende rejeição do Tratado Orçamental da UE para libertar o país

O secretário-geral do PCP defendeu hoje, a propósito das eventuais sanções da União Europeia (UE) a Portugal, a rejeição do Tratado Orçamental, para libertar o país da instabilidade e dos amarramentos da UE.

"A questão da revisão, da rejeição do Tratado Orçamental parece-nos ser o elemento fundamental. Que os países se reúnam numa conferência intergovernamental e discutam essa possibilidade, porque não podemos viver sempre com o credo na boca", afirmou Jerónimo de Sousa, em declarações aos jornalistas.

Falando em Fafe, depois de ter discursado num convívio das mulheres do PCP do distrito do Porto, no qual participaram algumas centenas de militantes e simpatizantes, o secretário-geral comunista destacou que "esta proposta tem vindo a alargar-se e a recolher novos apoios".

"Recentemente, o Bloco de Esquerda disse que estava de acordo, que secundava esta proposta. Mesmo no seio do PS, e por parte de muitos democratas e patriotas, existe esta preocupação", reforçou.

Questionado sobre a eventual falta de consenso na esquerda parlamentar sobre essa proposta, Jerónimo reconheceu que "o Governo PS não assumiu isso", mas defendeu ser "a vida a impor esta realidade".

"Não estamos aqui a fazer uma proposta revolucionária, estamos aqui a dizer que este povo tem direito ao investimento, ao crescimento económico e a criar mais riqueza, mas tem sempre estes amarramentos", acrescentou.

Para o líder do PCP, "esta insegurança, esta instabilidade não ajuda a resolver os problemas fundamentais" do país.

"Com estes constrangimentos não passamos da cepa torta", exclamou também.

Ainda sobre as eventuais sanções da UE a Portugal, considerou serem "inaceitáveis, depois de tantos sacrifícios, de tantos sofrimentos que esse pacto de agressão impôs sobre o nosso povo, a toque de caixa da União Europeia".

Jerónimo evidenciou depois outra preocupação: "Pode não haver sanções, mas a verdade é que o Tratado Orçamental e o semestre europeu se mantêm em vigor. Pode evitar-se sanções agora, mas as regras colocam sempre Portugal debaixo de fogo".

Questionado pelos jornalistas sobre a recente informação de que Durão Barroso foi indicado para ser o presidente não executivo da Goldman Sachs International, o dirigente do PCP comentou: "A esse caso particular de Durão Barroso, podíamos juntar uma lista longa de quadros dirigentes que circulam, numa espécie de vaivém, entre os grupos económicos e as instituições da União Europeia, numa promiscuidade condenável no plano ético".

Ainda segundo Jerónimo, o caso revela "ao serviço de quem estiveram e ao serviço de quem está essa União Europeia".

"Mais do que ataques pessoais ou fulanizados, devíamos tirar esta lição ou ensinamento", reforçou Jerónimo.

Para o secretário-geral do PCP, o caso "demonstra que a tal União Europeia, que devia ser da coesão económica e social, é de facto uma União Europeia ao serviço do grande capital".

Lusa

  • Fogo na Sertã alastrou aos concelhos de Mação e Proença-a-Nova
    2:37

    País

    Mais de 700 bombeiros combatem o incêndio que começou este domingo na Sertã e, durante a noite foi empurrado pelo vento para outros dois concelhos. As chamas atingiram as zonas de Mação e de Proença-a-Nova, onde os habitantes dizem que há várias casas destruídas pelo fogo. Esta manhã, chegaram dois aviões espanhóis para ajudar a controlar as chamas.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

    Em atualização

  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Genro de Donald Trump depõe hoje no Senado

    Mundo

    Jared Kushner, genro do Presidente dos EUA Donald Trump, vai hoje depor à porta fechada perante o comité dos serviços de inteligência do Senado, a câmara alta do Congresso norte-americano.

  • " A melhoria das contas públicas não foi feita à custa dos portugueses"
    1:30

    País

    Numa espécie de balaço deste ano e meio de governação, o primeiro-ministro voltou a assinalar voltou a assinalar a redução do défice e as melhorias nas contas públicas. Num jantar com militantes em Coimbra, António Costa garantiu ainda que a "verdadeira reforça do Estado avança até ao final desta legislatura, que é a Descentralização.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Margem mínima de mil votos obriga a negociações intensas em Timor-Leste

    Mundo

    A Fretilin venceu sem maioria absoluta as lesgislativas para o VII Governo constitucional de Timor-Leste. De acordo com os dados oficiais, o partido de Mari Alkatiri obteve perto de 170 mil votos e conquistou 23 deputados. Já o partido de Xanana Gusmão que tinha vencido há cinco anos, ficou em segundo com 167 mil votos e 22 lugares no parlamento, num total de 65.