sicnot

Perfil

Economia

PS lembra que sanções são relativas ao período de 2013 a 2015

PS lembra que sanções são relativas ao período de 2013 a 2015

O PS diz que falta pudor à ex-ministra das Finanças, por não reconhecer o falhanço das políticas que adotou. O deputado João Galamba lembra que as sanções de Bruxelas são relativas aos anos entre 2013 e 2015, anos anos do atual Governo entrar em funções.

"Este processo existe porque Maria Luís Albuquerque foi ministra, não porque Maria Luís Albuquerque já não é ministra", disse João Galamba, depois de o PSD, pela voz da ex-ministra das Finanças, ter acusado o Governo de não ter defendido o "legado" orçamental por "razões políticas internas".

O parlamentar socialista disse que "se esperaria de Maria Luís Albuquerque um pouco de pudor" e que deveria começar por "reconhecer que o que está em causa é o seu desempenho e apenas o seu desempenho".

"Este Governo o que está a tentar fazer é argumentar que esse falhanço e esse incumprimento, que efetivamente ocorreu, não é justificação para impor qualquer tipo de sanções", acrescentou.

"Se Maria Luís Albuquerque considera que um Governo português alguma vez atentaria contra o interesse nacional por meras razoes de política mesquinha, penso que Maria Luís Albuquerque está a falar sobre ela própria e não sobre o atual Governo", acusou ainda.

Segundo João Galamba, "o que o Governo atual está a fazer, como é público, é argumentar que as sanções não fazem sentido, são contraproducentes, absurdas e apesar de dizerem respeito ao passado, impendem sobre o presente e dificultam a ação do atual Governo".

"Esperaria que num momento de enorme instabilidade, onde importa não perder os cidadãos europeus e o apoio que estes dão ao projeto europeu, que os responsáveis tivessem algum bom senso e parassem esta loucura", pediu ainda.

O deputado do PS defende que esta questão das responsabilidades "tem que ficar arrumada de uma vez por todas" uma vez que "o documento é claro e o que diz é que o Governo português anterior não cumpriu as recomendações do Conselho de 2013 e que apresentou um ajustamento orçamental insuficiente nos anos de 2014 e de 2015".

Para João Galamba trata-se de uma "pressão inaceitável sobre Portugal e Espanha que devia parar".

"Considero inacreditável que alguém que seja a principal visada por este processo tente sistematicamente ou atacar o país ou atacar o atual Governo. Revela uma enorme falta de pudor", disse, voltando a visar Maria Luís Albuquerque.

"As decisões do Conselho desencadearão sanções, ao abrigo do PDE", indicou em comunicado o Ecofin, ainda reunido em Bruxelas, lembrando que agora a Comissão tem 20 dias para propor o montante das multas, que podem ir até 0,2% do Produto Interno Bruto (PIB).

Com Lusa

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.