sicnot

Perfil

Economia

Cavaco Silva quebra unanimidade em torno das sanções a Portugal

O ex-Presidente da República Cavaco Silva Cavaco Silva lembrou no Conselho de Estado, segunda-feira, que as regras europeias foram subscritas por Portugal, ainda assim sem nunca ter feito referência direta ao tema das sanções.

Tiago Petinga

Ao que a SIC apurou, Cavaco Silva fez uma intervenção centrada sobretudo no Brexit e nunca se referiu às regras do tratado orçamental, nem nunca condenou a aplicação de sanções a Portugal.

O jornal Público escreve hoje que o antigo presidente quebrou a unanimidade do Conselho de Estado, quanto a um eventual castigo a Portugal. Segundo o diário, Cavaco Silva surpreendeu os conselheiros de Estado com uma análise fria da conjuntura internacional e das contas públicas portuguesas.

A intervenção foi entendida por alguns dos conselheiros como uma legitimação das sanções que venham a ser aplicadas ao país.

O tema, que marcou a reunião de quase cinco horas, ficou de fora do comunicado final. O documento que é entregue aos jornalistas tem de ser aprovado pela unanimidade do Conselho de Estado e apenas refere os desafios colocados à União Europeia.

Última atualização às 13:24

  • Vêm aí as sanções. E agora?
    3:02

    Economia

    Os ministros das Finanças europeus deram luz verde para que a Comissão avance com uma proposta de sanção a Portugal e a Espanha. Bruxelas admite reduzir ou mesmo anular o valor da multa, mas avisa que a decisão depende dos argumentos e dos compromissos dos Governos. Só a correcção do défice em 2016 evitará o congelamento de parte dos fundos comunitários em 2017. Mário Centeno diz que não vai passar ao Plano B.

  • Governo tem dez dias para apresentar defesa relativamente às sanções
    2:10

    Economia

    Enquanto a esquerda continua a condenar a aplicação de sanções, a ex-ministra das Finanças acusa o Governo de não defender o legado orçamental que deixou apenas por razões políticas. Para o primeiro-ministro, as declarações de Maria Luís Albuquerque "são mais injustas do que qualquer sanção" . O Governo tem dez dias para apresentar defesa relativamente às sanções

  • Marcelo espera "uma sanção zero"
    0:59

    Economia

    O Presidente da República diz que não ficaria surpreendido se a Comissao Europeia aplicasse a Portugal a chamada "sanção zero". Confrontado com a decisão do Governo espanhol de avançar com medidas adicionais para evitar sanções, Marcelo Rebelo de Sousa sublinha que, no caso português, Bruxelas não levantou quaisquer dúvidas sobre a execução orçamental deste ano.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.