sicnot

Perfil

Economia

Governo admite pior desempenho com crescimento de 1,4% e défice de 2,3%

O Governo indicou hoje à Comissão Europeia que, num cenário alternativo que considera os "riscos macroeconómicos", a economia portuguesa deverá crescer 1,4% este ano e o défice será de 2,3%, projeções mais pessimistas do que as anteriores.

De acordo com o relatório que acompanha as alegações fundamentadas de Portugal no âmbito do processo de apuramento de sanções, enviadas hoje pelo executivo de António Costa a Bruxelas, o Governo admite que, num "cenário alternativo", a economia apresentaria um crescimento de 1,4%, abaixo dos 1,8% anteriormente previstos para 2016.

Quanto ao défice orçamental, o executivo admite agora que poderá ficar nos 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB), acima dos 2,2% esperados inicialmente, e, relativamente ao ajustamento estrutural, espera-se que atinja os 0,2 pontos percentuais do PIB.

Sublinhando que a execução orçamental até maio e a informação preliminar para junho "aponta para desenvolvimentos tanto na receita fiscal como na despesa que são compatíveis com a meta orçamental", o Governo admite que, "como normalmente, há riscos macroeconómicos", neste caso, com origem externa.

Entre os riscos identificados estão o "Brexit [a saída do Reino Unido da União Europeia] e os relativos aos amplos choques negativos que afetam parceiros comerciais importantes e que eram anteriormente dinâmicos, nomeadamente Angola e Brasil".

Assim, o executivo realizou uma "análise de sensibilidade" para avaliar o impacto que as medidas previstas podem ter no cumprimento do objetivo orçamental deste ano.

Neste "cenário alternativo", é esperada uma redução da receita fiscal de 0,3 pontos percentuais do PIB. No entanto, o executivo reitera que este impacto não é confirmado pelos resultados da receita fiscal até junho.

Para compensar esta eventual queda da receita fiscal, refere-se que, neste cenário, "as cativações que equivalem a 0,2% do PIB não vão ficar disponíveis" para fazer despesa.

Lusa

  • Vem lá chuva

    País

    A chuva vai voltar a Portugal continental a partir de quarta-feira e pelo menos até domingo, enquanto as temperaturas mínimas deverão subir.

  • "O Sporting é o um barco à deriva"
    2:26
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    A crise do Sporting foi o principal tema em O Dia Seguinte, esta segunda-feira. José Guilherme Aguiar censura Bruno de Carvalho por ter convidado Jorge Jesus para a comissão de honra da recandidatura. Já Rogério Alves não tem dúvidas que a contestação tem aumentado de tom devido à proximidade das eleições do Sporting. Rui Gomes da Silva pensa que toda a direção leonina é responsável pelo mau momento atual do clube.

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Violação emitida em direto no Facebook

    Mundo

    Três homens foram detidos na Suécia, por suspeitas de violação de uma mulher, num apartamento a 70 quilómetros da capital. Os suspeitos filmaram o ato de violência e exibiram-no em direto no Facebook.

  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.