sicnot

Perfil

Economia

FMI apela a políticos que não se conformem com crescimento atual

O economista-chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI) Maury Obstfeld apelou hoje aos políticos para que não se conformem com as atuais taxas de crescimento, considerando que estas "não devem ser aceites como o novo normal".

REUTERS

O FMI reviu hoje em baixa as projeções de crescimento para a economia global, esperando que o Produto Interno Bruto (PIB) mundial cresça 3,1% este ano e 3,4% no próximo, em resultado da saída do Reino Unido da União Europeia, uma revisão em baixa de 0,1 pontos percentuais em cada ano, de acordo com a atualização ao 'World Economic Outlook' hoje publicada.

Em conferência de imprensa, hoje em Washington, o diretor do departamento de investigação do FMI, Maury Obstfeld, afirmou que "os legisladores não devem aceitar as atuais taxas de crescimento como o 'novo normal', ditadas por fatores fora do alcance da política".

"Os riscos vão além dos custos puramente económicos de uma estagnação persistente", afirmou Obstfeld, sublinhando que "o ambiente de baixo crescimento vai piorar as tensões sociais associadas à estagnação salarial de longo prazo e às mudanças económicas estruturais".

O economista do Fundo deixou mesmo um apelo aos responsáveis políticos: "Cabe aos legisladores (e ainda mais aos líderes políticos) oferecer uma narrativa sobre estes desenvolvimentos de longo prazo para compensar os [discursos] populares que culpam os mercados orientados para as economias globais de todas as doenças do mundo", disse.

Para Obstfeld, esta narrativa "deve também oferecer uma esperança de que ações de política possam restabelecer as classes médias e um sentimento entre os votantes de que os benefícios do crescimento económico podem ser mais justamente partilhados".

Sublinhando as várias restrições existentes, Maury Obstfeld considerou que "é importante usar as principais alavancas da política de forma eficiente", referindo-se às políticas orçamentais amigas do crescimento, às reformas estruturais bem organizadas e a uma política monetária que suporte as expectativas para a inflação.

O economista-chefe da instituição liderada por Christine Lagarde afirmou ainda que os legisladores devem "considerar a incidência das suas medidas em diferentes grupos de rendimento, bem como acompanhá-las com ações que promovam a coesão social, o crescimento económico e a estabilidade".


Lusa

  • Marcelo lembra as consequências da demissão de Vítor Gaspar
    1:06

    Caso CGD

    O Presidente da República reitera que o assunto Caixa Geral de Depósitos está fechado. Em entrevista à TVI, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou esta segunda-feira as consequências que a demissão de Vítor Gaspar, ministro das Finanças em 2013, provocou no sistema financeiro para justificar o facto de ter intervindo na polémica com as SMS trocadas entre Mário Centeno e António Domingues.

  • PSD e CDS admitem chamar António Costa à nova Comissão de Inquérito à CGD
    2:37

    Caso CGD

    PSD e CDS admitem chamar o primeiro-ministro à nova Comissão de Inquérito à CGD. Apesar de ser uma hipótese, a SIC sabe que os dois partidos ainda estão a definir o objeto do inquérito e, por isso, afirmam que é prematuro falar sobre eventuais audições. Seja como for, António Costa voltou esta segunda-feira a dizer que o assunto está encerrado.

  • Acha que conhece o seu país?
    27:42
  • Avioneta despenha-se em centro comercial de Melbourne

    Mundo

    Uma avioneta com cinco pessoas a bordo caiu num centro comercial perto do aeroporto de Essendon em Melbourne, capital da Austrália. Segundo a polícia do estado de Vitória tratava-se de um voo charter com destino a King Island, situada entre a parte continental da Austrália e a ilha da Tasmânia.

  • Pelo menos 18 detidos em protestos no Rio de Janeiro

    Mundo

    Pelo menos 18 pessoas foram esta segunda-feira detidas no Rio de Janeiro, Brasil, depois de confrontos com a polícia durante um protesto contra a privatização da empresa pública de saneamento, que serve o terceiro estado mais povoado do país.

  • O momento em que Kim Jong-nam terá sido envenenado
    1:21

    Mundo

    A investigação ao homicídio do meio-irmão do líder da Coreia do Norte no aeroporto da capital da Malásia está a provocar uma crise diplomática entre os dois países. Esta segunda-feira, um canal de televisão japonês divulgou imagens das câmaras de vigilância do aeroporto que alegadamente captam o momento em que Kim Jong-nam terá sido envenenado.

  • O atentado na Suécia inventado por Donald Trump
    2:12
  • Os ensaios para a maior festa do ano
    1:16

    Mundo

    Em contagem decrescente para o Carnaval, no Rio de Janeiro, já começaram os ensaios para a maior festa do ano. A noite de testes na avenida Marquês de Sapucaí conta com desfiles gratuitos.