sicnot

Perfil

Economia

FMI apela a políticos que não se conformem com crescimento atual

O economista-chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI) Maury Obstfeld apelou hoje aos políticos para que não se conformem com as atuais taxas de crescimento, considerando que estas "não devem ser aceites como o novo normal".

REUTERS

O FMI reviu hoje em baixa as projeções de crescimento para a economia global, esperando que o Produto Interno Bruto (PIB) mundial cresça 3,1% este ano e 3,4% no próximo, em resultado da saída do Reino Unido da União Europeia, uma revisão em baixa de 0,1 pontos percentuais em cada ano, de acordo com a atualização ao 'World Economic Outlook' hoje publicada.

Em conferência de imprensa, hoje em Washington, o diretor do departamento de investigação do FMI, Maury Obstfeld, afirmou que "os legisladores não devem aceitar as atuais taxas de crescimento como o 'novo normal', ditadas por fatores fora do alcance da política".

"Os riscos vão além dos custos puramente económicos de uma estagnação persistente", afirmou Obstfeld, sublinhando que "o ambiente de baixo crescimento vai piorar as tensões sociais associadas à estagnação salarial de longo prazo e às mudanças económicas estruturais".

O economista do Fundo deixou mesmo um apelo aos responsáveis políticos: "Cabe aos legisladores (e ainda mais aos líderes políticos) oferecer uma narrativa sobre estes desenvolvimentos de longo prazo para compensar os [discursos] populares que culpam os mercados orientados para as economias globais de todas as doenças do mundo", disse.

Para Obstfeld, esta narrativa "deve também oferecer uma esperança de que ações de política possam restabelecer as classes médias e um sentimento entre os votantes de que os benefícios do crescimento económico podem ser mais justamente partilhados".

Sublinhando as várias restrições existentes, Maury Obstfeld considerou que "é importante usar as principais alavancas da política de forma eficiente", referindo-se às políticas orçamentais amigas do crescimento, às reformas estruturais bem organizadas e a uma política monetária que suporte as expectativas para a inflação.

O economista-chefe da instituição liderada por Christine Lagarde afirmou ainda que os legisladores devem "considerar a incidência das suas medidas em diferentes grupos de rendimento, bem como acompanhá-las com ações que promovam a coesão social, o crescimento económico e a estabilidade".


Lusa

  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.