sicnot

Perfil

Economia

Última empresa que ainda faz gravadores VHS anuncia fim da produção

O fabricante japonês de eletrónica Funai decidiu parar a produção de aparelhos e cassetes de vídeo VHS, deixando de ser a única empresa do mundo que fabricava estes dispositivos, segundo adiantou hoje o diário nipónico Nikkei.

A Funai Electronics comercializava aparelhos gravadores e reprodutores de videocassetes desde 1983, com a sua própria marca, mas também para outras empresas como a Sharp, Toshiba, Denon ou Sanyo.

Esta empresa era a única no mundo que continuava a fabricar estes aparelhos para um formato audiovisual considerado obsoleto, depois da generalização dos discos óticos e de outros sistemas digitais.

Outros gigantes nipónicos do setor, como a Panasonic, já tinham deixado de fabricar este aparelho há anos.

A Funai vai cancelar a produção de aparelhos VHS no final deste mês devido à falta de componentes materiais necessários à comecrialização, apesar de no Japão existir ainda alguma oferta.

A empresa, com sede em Osaka (oeste do país), chegou a vender cerca de 15 milhões de vídeo gravadores anuais durante a época de maior popularidade do formato VHS - entre meados dos anos 1980 e 1990 -, mas em 2015 a comercialização caiu para 750 mil.

A decisão da Funai vai causar a extinção comercial do VHS e chega depois de, em novembro do ano passado, o grupo Sony ter deixado de comercializar os vídeos Betamax, outro estandarte do vídeo analógico.

O formato VHS (sigla em inglês de Vídeo Home System) foi lançado em 1976 pela também empresa nipónica JVC, tornando-se no principal formato vídeo para uso doméstico e rivalizando com a Betamax durante quase duas décadas.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".