sicnot

Perfil

Economia

FMI insta países do G20 a mais gastos públicos para impulsionar crescimento económico

© POOL New / Reuters

O Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou hoje que os riscos para a economia global estão a crescer, apelando às principais nações do G20 a aumentarem as despesas públicas.

Os líderes dos bancos centrais e ministros das Finanças das 20 maiores economias estão hoje reunidos na cidade chinesa de Chengdu para abordar a situação económica global, perante novas incertezas com a decisão de saída do Reino Unido da União Europeia.

"O crescimento global continua fraco e os riscos de queda tornaram-se mais salientes", disse o FMI num relatório lançado antes da reunião do G20.

Numa atualização da sua previsão de abril, o FMI reviu em baixa as suas estimativas para o crescimento global este ano e no próximo em 0,1%, para 3,1% e 3,5% respetivamente.

O novo ministro das Finanças da Grã-Bretanha, Philip Hammond, é um dos que vai usar da palavra na reunião do G20, onde deverá transmitir a mensagem de que o seu país "continua aberto ao negócio", segundo um comunicado do Tesouro britânico.

O FMI quer que as economias avançadas como a Alemanha e os Estados Unidos canalizem mais gastos públicos para investimentos em infraestruturas, de forma a ajudar a impulsionar o crescimento global, uma questão que tem suscitado divisões entre os membros do G20.

Entretanto, os ministros do G20 apelaram hoje em Chengdu ao reforço da coordenação dos seus sistemas fiscais e de troca de informações financeiras, a fim de conter as práticas de otimização agressiva das multinacionais e de oferecer uma estabilidade acrescida aos investidores.

Acabar com as "lacunas" dos regimes fiscais devido à má coordenação internacional "vai mudar as escolhas que as empresas fazem", sublinhou o secretário do tesouro norte-americano Jacob Lew, perante outros grandes financeiros do G20.

A Google e outras multinacionais como a Amazon ou Facebook são regularmente acusadas de evasão aos impostos, nos Estados Unidos e na Europa, instalando-se em países onde os sistemas de tributação lhes são mais favoráveis, como a Irlanda.

O problema foi hoje abordado num simpósio dedicado aos sistemas fiscais, organizado em Chengdu, no sudoeste da China, à margem da reunião dos ministros das Finanças e dos governadores dos bancos centrais das 20 principais economias mundiais.

"Quando as regras atuais da fiscalidade internacional foram desenvolvidas, elas refletiam a geografia, as fronteiras nacionais. Hoje em dia, as tecnologias esbatem as fronteiras", acrescentou Lew.

Lusa

  • Autarca e duas jornalistas mortas a tiro na Finlândia 

    Mundo

    A presidente da Câmara de Imatra, na Finlândia, e duas jornalistas foram mortas a tiro na noite passada, na pequena cidade do sudeste do país. O incidente aconteceu junto a um restaurante e a polícia chegou ao local pouco depois dos disparos. Um suspeito de 23 anos já foi detido.

    Em desenvolvimento

  • Avião da Qatar Airways aterra de emergência nas Lages
    0:47

    País

    Aterrou de emergência nos Açores, esta manhã, um avião da Qatar Airways. A turbulência obrigou à manobra que causou pelo menos 10 feridos nos passageiro do avião que fazia ligação de Washington para Doha, capital do Qatar, e foi desviado para a base aérea das Lajes. Os passageiros desembarcaram, como registou no Twiiter um jornalista da Al-Jazzera que seguia a bordo. Segundo este depoimento, uma pessoa foi levada para o hospital com problemas cardíacos.

  • Passos elogia escolha de Paulo Macedo mas diz que não é suficiente
    1:47

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho diz que Paulo Macedo é competente para liderar os destinos da Caixa Geral de Depósitos, mas que a nomeação do antigo ministro não é suficiente para passar uma esponja sobre o assunto. Em Viseu, o líder do PSD não quis ainda avançar com um nome para a Câmara de Lisboa, depois de Santana Lopes afastar a hipótese de se candidatar.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.