sicnot

Perfil

Economia

Empréstimos concedidos pela banca às famílias para habitação caem 2,7% em junho

Os empréstimos concedidos pelos bancos particulares com o destino habitação voltaram a cair em junho (2,7%) em termos homólogos, enquanto os com finalidade consumo avançaram no mesmo mês (2,4%), segundo dados hoje divulgados pelo Banco de Portugal (BdP).

De acordo com o BdP, a percentagem de devedores do setor das famílias com crédito vencido diminuiu 0,4 pontos percentuais em relação a maio, fixando-se em 14,2%.

"Em junho, a tva [taxa de variação anual] dos empréstimos concedidos às famílias fixou-se em -1,8%, aumentando 0,1 pontos percentuais em relação a maio", refere o BdP, precisando que, por finalidade, a tva do crédito à habitação situou-se em -2,7% e a do crédito ao consumo e outros fins em 2,4%, aumentando, respetivamente, 0,1 pontos percentuais e 0,5 pontos percentuais face ao mês anterior.

Para o total dos empréstimos e para a finalidade habitação, o rácio de crédito vencido não se alterou relativamente ao mês de maio, situando-se em 5,2% e 3,1%, respetivamente.

No crédito ao consumo e outros fins este indicador apresentou uma redução de 0,3 pontos percentuais, para 14,3%.

Os empréstimos concedidos a sociedades não financeiras (SNF) recuaram, por sua vez, 2,5% em junho, face ao mesmo mês do ano passado, a mesma variação observada em maio.

O rácio de crédito vencido das sociedades não financeiras no fim de junho era de 16,5% e 29,1% dos devedores apresentavam crédito vencido.

As empresas privadas exportadoras registaram um rácio de crédito vencido de 6,6% (mais 0,1 pontos percentuais face a maio) e uma percentagem de devedores com crédito vencido de 9,7% (igual à do mês anterior).

"Em junho de 2016, a tva dos empréstimos concedidos às sociedades não financeiras manteve-se em -2,5%. Os empréstimos às empresas privadas exportadoras registaram uma tva de 1,0%, traduzindo-se numa redução de 0,2 pontos percentuais (em relação ao mês anterior).

Lusa

  • Governo recomenda retirada de livros polémicos da Porto Editora

    País

    A Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, "por orientação do ministro adjunto", recomendou hoje à Porto Editora a retirada do mercado dos blocos de atividades que fazem distinção entre rapazes e raparigas. O organismo considera que podem estar em causa a "diferenciação e desvalorização do papel das raparigas no espaço público e dos rapazes no espaço privado".

    Ricardo Rosa

  • Enfermeiros especialistas em saúde materna retomam protesto 

    País

    Os enfermeiros especialistas em saúde materna e obstetrícia voltam quinta-feira de manhã a interromper as funções especializadas, o que pode afetar blocos de parto e maternidades. Queixam-se de "falta de resposta política adequada" e "ausência de acordos sérios".

  • Cristas vaiada em bairro de Chelas
    1:44

    Autárquicas 2017

    Assunção Cristas promete mudanças na Gebalis, a empresa municipal que gere os bairros sociais em Lisboa. Esta manhã, a candidata do CDS à câmara visitou um bairro de Chelas, onde foi vaiada por alguns populares.

  • Prestação da casa aumenta pela primeira vez desde 2014
    1:17

    Economia

    Pela primeira vez em três anos, as taxas de juro do crédito à habitação, estão a subir. A subida é de apenas 1 euro, mas é a primeira desde 2014, depois de em maio deste ano ter estabilizado e em junho ter descido. A justificação para este aumento é a evolução das taxas euribor.

  • "Em vez de ajudarem, estavam a tirar fotos dela a morrer"
    1:13
  • Criança irrequieta domina noticiário britânico
    1:19