sicnot

Perfil

Economia

Fatura de luz tem que ter data para dar a contagem

As faturas de eletricidade vão ter que indicar qual a data em que a leitura da contagem deve ser comunicada ao fornecedor, segundo a diretiva da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) publicada hoje em Diário da República.

A partir de quarta-feira, "os comercializadores e os comercializadores de último recurso devem informar os seus clientes em baixa tensão da data ou datas preferenciais para comunicação de leituras por parte destes", através "da identificação dessa data ou datas, de forma visível e clara, na fatura de eletricidade apresentada ao cliente, devendo esta data ou datas ser consistente com a data e a periodicidade de faturação adotada pelo comercializador".

Com esta obrigação aos comercializadores de último recurso e aos que operam no mercado liberalizado, os consumidores veem reforçados os meios para reduzirem o recurso a estimativas de consumo e poderem mais facilmente controlar os seus consumos de energia e os custos associados.

O regulador do setor energético realça que "um quadro equilibrado de acesso à informação por parte dos consumidores constitui um fundamento essencial para o desenvolvimento de um mercado liberalizado eficiente e útil aos consumidores".

Lusa

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC