sicnot

Perfil

Economia

Portugal deve conhecer hoje multa e novas recomendações orçamentais de Bruxelas

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters (Arquivo)

Portugal deverá conhecer hoje a possível multa a pagar por falhar as metas orçamentais impostas pela União Europeia (UE), num anúncio esperado para o início da tarde após a última reunião dos comissários europeus antes das férias de verão.

Desde maio, que Portugal e Espanha aguardam pelo desfecho do processo por terem ficado acima de um défice de 3% do Produto Interno Bruto (PIB), esperando-se que hoje seja anunciado quer a multa, que pode ir até aos 0,2% do PIB, quer novos prolongamentos para cumprir objetivos.

Na conferência de imprensa diária, em Bruxelas, de terça-feira, Margaritis Schinas, porta-voz do executivo comunitário, informou que o colégio de comissários vai "considerar passos que se tornaram necessários, na sequência da decisão do Conselho que nenhum dos países realizou ações efetivas para corrigir os seus défices excessivos".

Assim, o executivo comunitário vai propor qual a sanção, pertencendo ao Conselho de ministros europeus das Finanças (Ecofin) - que a 12 de julho concluiu que os países ibéricos tinham falhado nas metas -- aprovar esta decisão.

Adiada até setembro está a decisão sobre a suspensão de fundos estruturais, por ainda estar agendado um "diálogo estruturado" entre a Comissão Europeia e o Parlamento Europeu (PE).

O aprofundamento do procedimento por défice excessivo pressupõe uma proposta da Comissão sobre a suspensão de parte dos compromissos dos Fundos Estruturais e de Investimentos, que pode ir até 0,5% do PIB ou até 50% dos compromissos assumidos.

O primeiro-ministro português, António Costa, tem insistido que "não há qualquer justificação, nem base legal, e que seria aliás contraproducente a aplicação de sanções por um resultado não alcançado em 2015" e quando se está num ano "em que, felizmente a própria Comissão Europeia reconhece que se irá conseguir cumprir este objetivo".

Lusa

  • À espera do "puxão de orelhas" de Bruxelas
    1:39

    Economia

    A Comissão Europeia decide, esta quarta-feira, o valor das sanções a aplicar a Portugal e Espanha. Há comissários europeus a defender que não deve haver qualquer multa mas há outros que pedem uma penalização entre os 18 e os 36 milhões de euros. Carlos Moedas e Pierre Moscovici são dois dos comissários que defendem a aplicação de multa zero.

  • Primeiro-ministro agradece sacrifícios dos portugueses
    0:46

    Economia

    O primeiro-ministro diz que os números do INE em relação ao défice de 2016 são prova de que havia uma alternativa e deixou uma palavra de agradecimento aos portugueses. As declarações de António Costa foram feiras aos jornalistas em Roma, onde se encontra para assinalar no sábado os 60 anos da União Europeia.

  • Jerónimo diz que UE vai continuar a causar constrangimentos a Portugal
    0:35

    Economia

    Esta sexta-feira na inauguração de uma exposição em Almada que denuncia a precariedade dos postos de trabalho, Jerónimo de Sousa falou sobre o défice de 2016. Para o secretário-geral do PCP, apesar do Governo ter ido além do exigido por Bruxelas, a União Europeia vai continuar a impedir Portugal de crescer.

  • Enfermeiros desconvocam greve

    País

    O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) desconvocou esta sexta-feira a greve geral nacional marcada para quinta e sexta-feira da próxima semana, anunciou o presidente da estrutura, justificando com os compromissos assumidos pelo Ministério da Saúde.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Probido fumar na praia? Não-fumadores aplaudem ideia
    1:33

    País

    O Comissário Europeu da Saúde defende uma proibição total do consumo de tabaco no espaço público. Esta e outras medidas foram defendidas, ontem, na Conferência Tabaco e Saúde da Liga Portuguesa Contra o Cancro. 

  • Visitar o Titanic vai custar 97 mil euros por pessoa

    Mundo

    Uma viagem a bordo do Titanic em 1912 era considerada uma viagem de luxo. Mais de 100 anos depois, continua a ser um luxo visitar o Titanic. Em 2018, vai ser possível conhecer os restos daquele que em tempos foi o maior navio do mundo. Contudo, nem todos vão poder fazê-lo, pois a viagem irá custar cerca de 97 mil euros por pessoa.