sicnot

Perfil

Economia

Reserva Federal deixa taxas de juro inalteradas e aponta diminuição de riscos

A Reserva Federal (Fed), banco central norte-americano, deixou hoje as taxas de juro inalteradas e considerou que os riscos económicos para os Estados Unidos "diminuíram".

Após dois dias de reunião, o comité de política monetária da Fed não manifestou particular preocupação em relação ao 'Brexit' (saída britânica da União Europeia) e insistiu no "reforço" do mercado de trabalho norte-americano, abrindo caminho a uma possível subida das taxas de juro em setembro.

"O mercado de trabalho reforçou-se e a atividade económica avançou a um ritmo moderado", afirma o comunicado divulgado após a reunião, acrescentando que houve uma "forte" criação de emprego em junho que pôs fim a dúvidas sobre a solidez da recuperação.

Na primeira reunião de política monetária realizada após o referendo britânico favorável a uma saída da União Europeia, a Fed parece sugerir que o impacto será fraco nos Estados Unidos.

O banco central dos Estados Unidos disse que vai continuar atento "à evolução da situação económica e financeira mundial", mas referiu que considera que "os riscos a médio prazo diminuíram", um diagnóstico relativamente otimista que poderá abrir caminho a uma possível subida das taxas de juro na reunião de 20 e 21 de setembro.

As taxas de juro de referência estão atualmente entre 0,25% e 0,50%, depois de uma subida em dezembro que pôs fim a sete anos de uma política de taxas próximas de zero.

Um dos 10 membros do comité de política monetária, Esther George, manifestou a sua oposição a esta decisão e defendeu que as taxas de juro deveriam subir agora, indica o comunicado.

Lusa

  • Obras de remodelação calam Big Ben
    1:18

    Mundo

    Na próxima segunda-feira, os sinos do Big Ben, o famoso relógio de Londres, vão ficar em silêncio. As obras de restauro só estarão concluídas daqui a quatro anos.