sicnot

Perfil

Economia

Sanção zero para Portugal

© Francois Lenoir / Reuters

Bruxelas propõe não aplicar multas a Portugal e Espanha pelo défice excessivo no ano passado. A decisão da Comissão Europeia terá agora que ser validada pelo Ecofin.

Última atualização às 13:25

É oficial, a decisão foi anunciada ao final da manhã em conferência de imprensa, pelo vice-presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis, em Bruxelas.

Depois de uma reunião de três horas, o colégio de comissários europeus decidiu avançar com a chamada sanção zero. Sendo assim, Portugal não vai ter de fazer nenhum pagamento por não ter cumprido a meta do défice no ano passado.

Bruxelas justifica a decisão com os esforços demonstrados por Portugal e Espanha, sublinhando que é necessário respeitar as regras europeias.

Por decidir está o congelamento dos fundos estruturais, como sanção por os países terem violado as metas orçamentais, mas só acontecerá depois de um diálogo estruturado entre a Comissão Europeia e o Parlamento Europeu.

Cabe agora ao Ecofin aprovar a proposta de sanção simbólica aos dois países. O conselho de ministros das Finanças europeus reúne-se na próxima semana, com poderes de veto.

Quer isto dizer que a decisão da Comissão de não aplicar multas aos países que falharam a meta do défice ainda pode ser revertida pelo Ecofin. Para isso, precisará de uma maioria qualificada de países.

Portugal com mais um ano para corrigir défice excessivo

A Comissão Europeia recomendou também que Portugal corrija o seu défice excessivo até 2016: "tendo em conta as situações económicas e orçamentais, a Comissão recomendou que Portugal corrija o défice excessivo até 2016 e que Espanha o faça até 2018, o mais tardar".

Anteriormente, Portugal estava obrigado a reduzir o seu défice para um valor abaixo dos 3% do PIB até ao final de 2015.

Segundo a mesma informação da Comissão Europeia divulgada hoje, a decisão tomada "está em linha com os compromissos que os dois Estados-membros já anunciaram e reflete a abordagem prudente da Comissão no atual ambiente".

Com Lusa

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.