sicnot

Perfil

Economia

Grupo chinês Fosun propõe aquisição de 16,7% do capital do BCP

A empresa de investimento chinesa Fosun propôs ao Banco Comercial Português (BCP) comprar 16,7% do capital do banco, de acordo com a informação transmitida pelo BCP à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A aquisição será consolidada através de um aumento de capital, que a Fosun admite, na proposta agora feita, reforçar posteriormente "para entre 20% a 30%".

"A Fosun propõe-se subscrever um aumento de capital reservado", passando a deter "uma participação de aproximadamente 16,7% do total de ações representativas do capital social do BCP", indicou a empresa chinesa numa carta enviada à instituição bancária portuguesa.

"A Fosun considera ainda aumentar a sua participação através ou de operações em mercado secundário ou no contexto de aumentos de capital futuros, com vista ao potencial aumento da participação social da Fosun no BCP para entre 20% a 30%", acrescentou no mesmo documento.

A proposta da Fosun está dependente de uma série de condições, que o BCP, no seu comunicado, reconhece como tendo "interesse estratégico potencial".

Todavia, tal reconhecimento "não pode ser entendido como garantia de que a operação proposta venha a efetuar-se ou como significando que tenha sido tomada qualquer decisão relativamente à mesma", conclui-se no comunicado enviado à CMVM.

O grupo Fosun detém em Portugal a seguradora Fidelidade e o grupo de prestação de cuidados de saúde Luz Saúde.

Lusa

  • Younes Abouyaaqoub, o homem mais procurado de Espanha
    1:53
  • Incendiários vão passar o verão com pulseira eletrónica

    País

    Os tribunais vão poder condenar os incendiários a penas de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, durante as épocas de incêndio. A nova lei foi aprovada na semana passada, na Assembleia da República, e aguarda a promulgação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

  • Costa desafia PSD para pacto depois das autárquicas
    1:14
  • "Trump, deixe-me ajudá-lo a escrever o discurso"
    0:47

    Mundo

    Arnold Schwarzenegger diz que Donald Trump tem o dever moral de se opor ao ódio e ao racismo. Num vídeo publicado nas redes sociais, o ator norte-americano e antigo governador da Califórnia encenou o discurso que Donald Trump devia ter. 

  • Hino da SIC tocado pela viola beiroa
    2:22