sicnot

Perfil

Economia

Governo e BEI assinam contrato relativo a empréstimo de 750M€ para Portugal 2020

O Ministério das Finanças e o Banco Europeu de Investimento (BEI) assinaram hoje um contrato relativo à primeira parcela do empréstimo-quadro junto desta instituição, no valor de 750 milhões de euros, segundo um comunicado do executivo entretanto divulgado.

O contrato destina-se "ao financiamento da contrapartida nacional de operações aprovadas no âmbito dos Programas Operacionais do Portugal 2020" e visa fomentar as áreas da inovação e investigação, educação, desenvolvimento empresarial, saúde, eficiência energética e energias renováveis, melhoria de abastecimento de água e reabilitação urbana.

O investimento agora acordado entre Portugal e o BEI apoiará a concretização dos projetos a financiar pelos Fundos Estruturais da União Europeia até 2020, segundo a nota do Ministério das Finanças.

"Este instrumento irá contribuir para uma rápida, eficiente e integral utilização em Portugal dos fundos europeus. Permitirá, assim, fomentar a competitividade e a internacionalização da economia portuguesa e, simultaneamente, promover a geração de emprego, a valorização dos recursos humanos, a inclusão social e a coesão territorial", lê-se no comunicado.

De acordo com o ministro das Finanças, Mário Centeno, "ao apoiar o financiamento da contrapartida nacional dos Programas Operacionais do Portugal 2020, o presente empréstimo do BEI dará certamente um importante contributo para aumentar o investimento, sobretudo por parte do nosso tecido empresarial."

Já o vice-presidente do BEI, Román Escolano, destacou que "este investimento demonstra o compromisso do BEI em apoiar a consolidação da economia portuguesa, depois da recente crise, e o seu regresso a uma trajetória de crescimento, através do apoio ao emprego, à inovação e às PME".

Lusa

  • Oceanário de Lisboa dá formação sobre impacto da acumulação de plásticos nos oceanos
    2:37
  • Trump e Netanyahu discutiram "ameaças que o Irão coloca"

    Mundo

    O novo Presidente norte-americano, Donald Trump, e o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, debateram "as ameaças que o Irão coloca" e concordaram que a paz israelo-palestiniana só pode ser "negociada diretamente", anunciou este domingo a Casa Branca.