sicnot

Perfil

Economia

Ministro da Economia desvaloriza subida da dívida pública

ANDR\303\211 KOSTERS

O ministro da Economia desvalorizou a subida da dívida pública, hoje conhecida, explicando que aquela "evoluiu dentro de um padrão" e que como está "em linha" com o crescimento nominal existe uma "estabilização" do rácio de endividamento.

Em Braga, à margem de visitas a empresas do distrito, Caldeira Cabral considerou que o "importante" é que a dívida pública "cresça menos" do que a economia e que haja "contenção" nas contas públicas.

A dívida pública portuguesa subiu 2,4 mil milhões de euros em junho, relativamente a maio, totalizando 240 mil milhões de euros no final do primeiro semestre, de acordo com informação hoje divulgada pelo Banco de Portugal (BdP).

"É uma evolução que vem dentro de um padrão, é um aumento de 3%, que desde que esteja em linha com o crescimento nominal, e é o que se está a ver, significa uma estabilização do rácio do endividamento", afirmou Caldeira Cabral quando confrontado com aqueles dados do BdP.

Segundo o titular da pasta da Economia, "mais importante é garantir que há uma trajetória de crescimento da economia e contenção nas contas públicas" o que, segundo Caldeira Cabral, "garante um controlo do endividamento e uma redução do rácio de endividamento e é isso que está previsto para esta legislatura".

O ministro referiu que "a dívida pública vai continuar a crescer dentro do padrão em que vinha".

"Se crescer menos do que a economia vamos ter uma diminuição do rácio de endividamento", concluiu.

  • "Foi um golpe muito forte"
    1:41
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • SIC acompanhou Francisco George no último dia como diretor-geral da Saúde
    6:20