sicnot

Perfil

Economia

Uber funde operações na China com empresa rival

O aplicativo de transporte Uber e o seu rival chinês Didi Chuxing vão fundir as suas operações na China, pondo fim a uma renhida competição pelo mercado da segunda maior economia mundial, avançou a agência Bloomberg.

O negócio permitirá à Uber ficar com 20% da futura empresa, detalhou a agência.

Ambas as firmas gastaram milhares de milhões de dólares com subsídios para motoristas e passageiros, e trocaram acusações mutuamente, como parte de uma campanha pelo domínio do mercado chinês.

A estrutura do acordo permitirá à Didi Chuxing controlo indiscutível.

O negócio poderá ser formalmente anunciado ainda hoje, segundo o Wall Street Journal.

Uma mensagem posta a circular nas redes sociais chinesas e alegadamente escrita pelo presidente executivo da Uber, Travis Kalanick, diz: "Aprendi que, para obter sucesso, é preciso ouvir a tua cabeça e seguir o teu coração".

Ambas as empresas estavam a "investir milhares de milhões de dólares na China e ambas não conseguiram ainda registar lucros", lê-se na mensagem.

"Alcançar lucros é a única forma de construir um negócio sustentável, capaz de melhor servir os passageiros chineses, motoristas e as cidades, a longo prazo", acrescenta.

Na semana passada, a China legalizou de forma definitiva as operações dos aplicativos de transporte, tornando-se o primeiro país a aprovar uma lei para regular este modelo de negócio.

A normativa obriga as empresas do setor a pagar impostos e proíbe-as de praticar políticas agressivas de preços, "suscetíveis de causar perturbações no mercado", restringindo possivelmente o recurso a subsídios.

Em maio, o gigante tecnológico norte-americano Apple investiu mil milhões de dólares no Didi Chuxing, que tem uma quota de quase 90% do mercado chinês.

Como parte da fusão, a Didi Chuxing investirá mil milhões de dólares na Uber, elevando o valor da firma para 68 mil milhões de dólares, detalhou a Bloomberg.

A Uber assumiu-se, nos últimos anos, como uma das mais valiosas startups, à medida que se expandiu para 50 países, mas tem enfrentado barreiras legais e protestos das companhias tradicionais de táxi em quase todo o mundo.

Lusa

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.