sicnot

Perfil

Economia

Uber funde operações na China com empresa rival

O aplicativo de transporte Uber e o seu rival chinês Didi Chuxing vão fundir as suas operações na China, pondo fim a uma renhida competição pelo mercado da segunda maior economia mundial, avançou a agência Bloomberg.

O negócio permitirá à Uber ficar com 20% da futura empresa, detalhou a agência.

Ambas as firmas gastaram milhares de milhões de dólares com subsídios para motoristas e passageiros, e trocaram acusações mutuamente, como parte de uma campanha pelo domínio do mercado chinês.

A estrutura do acordo permitirá à Didi Chuxing controlo indiscutível.

O negócio poderá ser formalmente anunciado ainda hoje, segundo o Wall Street Journal.

Uma mensagem posta a circular nas redes sociais chinesas e alegadamente escrita pelo presidente executivo da Uber, Travis Kalanick, diz: "Aprendi que, para obter sucesso, é preciso ouvir a tua cabeça e seguir o teu coração".

Ambas as empresas estavam a "investir milhares de milhões de dólares na China e ambas não conseguiram ainda registar lucros", lê-se na mensagem.

"Alcançar lucros é a única forma de construir um negócio sustentável, capaz de melhor servir os passageiros chineses, motoristas e as cidades, a longo prazo", acrescenta.

Na semana passada, a China legalizou de forma definitiva as operações dos aplicativos de transporte, tornando-se o primeiro país a aprovar uma lei para regular este modelo de negócio.

A normativa obriga as empresas do setor a pagar impostos e proíbe-as de praticar políticas agressivas de preços, "suscetíveis de causar perturbações no mercado", restringindo possivelmente o recurso a subsídios.

Em maio, o gigante tecnológico norte-americano Apple investiu mil milhões de dólares no Didi Chuxing, que tem uma quota de quase 90% do mercado chinês.

Como parte da fusão, a Didi Chuxing investirá mil milhões de dólares na Uber, elevando o valor da firma para 68 mil milhões de dólares, detalhou a Bloomberg.

A Uber assumiu-se, nos últimos anos, como uma das mais valiosas startups, à medida que se expandiu para 50 países, mas tem enfrentado barreiras legais e protestos das companhias tradicionais de táxi em quase todo o mundo.

Lusa

  • Incêndio destrói igreja em Ponte da Barca
    1:49

    País

    Um incêndio destruiu na última madrugada a Igreja de Lavradas, em Ponte da Barca. A Polícia Judiciária de Braga está a investigar as causas do fogo, mas tudo aponta para um curto-circuito.

  • Bairro em Loures não tem luz há mais de um ano
    2:30

    País

    O bairro da Torre, junto ao aeroporto de Lisboa mas ainda no concelho de Loures, não tem eletricidade nem nos postes, nem nas casas. A EDP e os moradores nunca chegaram a acordo para uma solução de pagamento coletivo e a empresa, para acabar com as puxadas eléctricas ilegais, decidiu cortar de vez o abastecimento há mais de um ano.