sicnot

Perfil

Economia

Espanha regista diminuição do número de desempregados em julho

© Jon Nazca / Reuters

O número de desempregados registados em julho nos serviços públicos de emprego espanhóis diminuiu em 83.993 pessoas em relação ao mês anterior, alcançando um total de 3.683.061 pessoas sem trabalho.

O Ministério do Emprego e da Segurança Social de Espanha publicou os dados e sublinhou que se trata da maior descida neste mês desde 1997.

Segundo os mesmos dados, e sem tomar em consideração os empregos ligados à atividade sazonal do verão, o desemprego foi reduzido em 48.573 pessoas.

Nos últimos 12 meses, até julho, o desemprego baixou em 363.215 pessoas, uma diminuição de 9,0%.

O Ministério do Emprego e da Segurança Social também publicou outros dados que dão conta de um aumento de 84.721 pessoas inscritas na Segurança Social espanhola em julho, um aumento de 0,48 % em relação a junho, com um total de 17.844.992 com trabalho.

Sem tomar em consideração a época balnear, as pessoas ocupadas e a descontar para a Segurança Social são mais 41.463, o melhor resultado mensal dos últimos 10 anos, segundo o Ministério.

Em termos homólogos (o mesmo mês de 2015), o conjunto do sistema tinha mais 529.804 inscritos, um aumento de 3,06 %.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.