sicnot

Perfil

Economia

IMI mais baixo para povoações sem saneamento

IMI mais baixo para povoações sem saneamento

O cálculo do IMI terá novos critérios. Contudo, os antigos mantêm-se. O imposto é mais baixo em povoações sem saneamento e sem água canalizada. Já os bons acessos aumentam o imposto.

  • Novos critérios no cálculo do IMI
    1:24

    Economia

    Os novos critérios para o cálculo do IMI levarão a novos valores a pagar: há mais aumentos do que descidas do imposto. A qualidade ambiental, onde entra a poluição e o barulho, e questões relacionadas com a acessibilidade são alguns dos fatores que podem fazer com que pague menos.

  • Vive perto de um cemitério? Então pode pagar menos IMI
    2:25

    Economia

    As alterações ao cálculo do IMI estão a causar vários sentimentos: estranheza, indignação e, sobretudo, perplexidade. As novas regras já entraram em vigor e dizem uma coisa muito simples: as casas que tenham uma boa exposição solar e uma vista agradável vão pagar mais imposto. Já quem morar em frente a um cemitério ou a uma ETAR, pode pedir uma reavaliação do imóvel para pagar menos de IMI.

  • "São critérios subjetivos e discricionários"
    4:08

    José Gomes Ferreira

    As alterações ao cálculo do IMI estão a provocar muitas reações. José Gomes Ferreira diz que os novos critérios são "subjetivos e discriminatórios" e que o único objetivo da medida é ter mais receita. O jornalista da SIC diz ainda que o argumento de que os imóveis passarão a estar mais perto do valor real é uma ilusão.

  • A Verdade sobre a Mentira
    35:13
  • Elemento dos Super Dragões com medida de coação mais gravosa
    1:37

    Desporto

    Os seis arguidos da Operação Jogo Duplo, que investiga crimes de corrupção e viciação de resultados na II Liga de futebol, saíram em liberdade. A medida de coação mais gravosa é para um membro da claque Super Dragões, que terá de pagar uma caução de 5 mil euros.

  • Mais de 120 pessoas com hepatite A
    2:23

    País

    O surto de hepatite A já infetou 128 pessoas, 60 das quais estão internadas em hospitais de Lisboa e Coimbra. A Direção-Geral da saúde recomenda a vacinação apenas aos familiares dos doentes. Apesar de não haver ruptura de stocks, há farmácias que não têm vacinas.

  • Sobreviventes de Mossul relatam mutilações e execuções do Daesh
    1:32