sicnot

Perfil

Economia

Presidente do Bundesbank critica tolerância de Bruxelas a Portugal e Espanha

© Alex Domanski / Reuters

O presidente do Bundesbank, Jens Weidmann, criticou hoje a falta de atuação da Comissão Europeia relativamente a Portugal e Espanha, defendendo que o não cumprimento das regras orçamentais "devia dar lugar a consequências".

"A determinado momento as infrações às regras deviam ter consequências", afirmou o presidente do banco central alemão numa entrevista aos jornais Die Zeit e Corriere della Sera, citada pela agência France Presse.

"Na minha opinião, a comissão e o conselho europeus não foram consequentes", sustentou.

No mês passado, Bruxelas decidiu não aplicar sanções a Portugal e Espanha pelo não cumprimento das regras orçamentais europeias, apesar de o défice público dos dois países ter ultrapassado o limite de 3% do Produto Interno Bruto (PIB) imposto pelos tratados. A decisão foi justificada com os esforços que têm vindo a ser feitos pelos dois países, no seguimento da crise da dívida.

Contudo, para Weidmann, esta posição faz com que as regras "sejam simplesmente uma fachada, sem nenhum caráter vinculativo", quando é precisamente através de normas firmes que a zona euro poderá evitar novas crises como a da dívida grega.

"Na minha opinião a popularidade da União Europeia junto dos cidadãos sofre com o facto de não serem cumpridas as regras que foram comumente acordadas", afirmou o presidente do Bundesbank.

Lusa

  • "A grande vitória é de António Costa, do Governo e do Presidente da República"
    27:23

    Luís Marques Mendes

    Os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, o duelo americano entre Trump e Clinton, Marcelo Rebelo de Sousa a crise política, o fim das sanções, o orçamento para 2017, as eleições autárquicas reforçadas, as queixas de Sócrates e o interesse da Fosun no BCP foram os temas abordados por Luís Marques Mendes no Jornal da Noite deste domingo. Luís Marques Mendes acredita que a participação de Portugal nos Jogos Olímpicos pode dar-nos algumas "alegrias" porque acredita que os atletas podem conquistar algumas medalhas. Quanto às eleições nos Estados Unidos, diz que "Hillary vai ter de desmontar a imagem" uma vez que esta representa "os vícios de Washington". O comentador da SIC considera que Marcelo Rebelo de Sousa ajudou a baixar a temperatura política e que "não vai haver crise política de forma nenhuma". Quanto às sanções, Marques Mendes diz que esta é uma grande vitória de "António Costa, do Governo e do Presidente da República".

  • "O passado é o passado e isso nenhuma multa vai mudar"
    2:58

    Economia

    Quando os comissários começaram a reunião para decidir sobre as sanções a aplicar ninguém podia arriscar um prognóstico. Entre Lisboa e Bruxelas foram várias as horas passadas ao telefone. Valeram os esforços diplomáticos que incluiram Marcelo, Costa e o comissário Carlos Moedas e ainda a ajuda decisiva do Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06