sicnot

Perfil

Economia

Transportes públicos de Lisboa voltam a ter gestão autónoma em 2017

Lei que acaba com a marca Transportes de Lisboa, restituindo total autonomia de gestão ao Metro de Lisboa, à rodoviária Carris e às transportadoras fluviais Transtejo e Soflusa, entra em vigor dia 1 de janeiro de 2017.

O diploma entra em vigor a 1 de janeiro de 2017 e restabelece "a total autonomia jurídica" do Metropolitano de Lisboa, da Companhia de Carris de Ferro de Lisboa, da Transtejo -- Transportes do Tejo e da Soflusa -- Sociedade Fluvial de Transportes.

O primeiro dia de 2017 é também a data prevista pelo Governo para entregar a gestão da Carris e da STCP -- Sociedade de Transportes Coletivos do Porto às câmaras de Lisboa e do Porto, respetivamente.

A lei hoje publicada revoga o regime de acumulação de funções dos membros executivos do conselho de administração do Metropolitano de Lisboa e da Carris, que tinha sido estabelecido em 2012, aquando do início do processo de fusão das duas empresas.

Com esta revogação, volta a valer a lei anterior quanto à composição e duração dos mandatos dos conselhos de administração das empresas.

A lei, aprovada a 9 de junho e promulgada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, na semana passada, põe assim um ponto final na intenção assumida logo no primeiro Governo PSD/CDS de fundir as transportadoras públicas, criando a Transportes de Lisboa como marca única, tendo em vista a sua subconcessão a privados.

No início de 2015, o atual Governo socialista já tinha anulado os contratos de subconcessão das empresas celebrados pelo anterior Governo, o que levou a vários processos de reclamação de indemnizações nos tribunais pelas empresas.

O Metro de Lisboa e a Carris tinham sido concessionados à operadora Avanza, enquanto no Porto as empresas Transdev e Alsa tinham vencido os concursos de subconcessão para o Metro do Porto e a STCP, respetivamente.

Lusa

  • DIRETO: Célula terrorista preparava grande atentado na Catalunha

    Ataque em Barcelona

    Uma das vítimas mortais do atentado em Barcelona era de Lisboa e há uma outra portuguesa, a sua neta, desaparecida. A polícia procura quatro jovens e há outras quatro detenções confirmadas. Os autores dos ataques na Catalunha, que mataram 14 pessoas e feriram 140, pertenciam ao mesmo grupo. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • Vídeo mostra passagem da carrinha a alta velocidade nas Ramblas
    0:33
  • O momento em que os suspeitos foram abatidos em Cambrils
    2:35

    Ataque em Barcelona

    Em Cambrils, também na Catalunha, foram mortos cinco alegados terroristas que atropelaram várias pessoas, uma morreu e seis ficaram feridas, quando escapavam a uma perseguição policial, esta madrugada. As autoridades investigam uma eventual relação entre os dois atentados. Nota: chamamos à atenção para a violência das imagens, que podem chocar os espetadores mais sensíveis.

  • Nível de ameaça terrorista em Portugal continua moderado
    1:31

    Ataque em Barcelona

    O primeiro-ministro garantiu hoje que, para já, o nível de ameaça terrorista em Portugal não vai ser alterado (o nível está no 4 em 5). Já o Presidente da República disse que não há tolerância possível e garante que há medidas preparadas caso o mesmo cenário venha a acontecer em Portugal.

  • Vento e calor provocam reacendimentos em Mação
    1:55

    País

    As temperaturas altas e o vento forte estão a provocar reacendimentos em Mação. No terreno mantêm-se cerca de 800 bombeiros, numa altura que que há receio que as chamas voltem a ficar ativas, como explica o repórter Rui Carlos Teixeira.