sicnot

Perfil

Economia

Segurança Social alerta empresas para que corrijam declaração de remunerações

A Segurança Social está a contactar as entidades empregadoras públicas e privadas para que corrijam os erros nas declarações de remunerações, que podem inviabilizar o registo das mesmas, disse à Lusa fonte do Ministério do Trabalho.

O Ministério liderado por Vieira da Silva introduziu alterações no sistema de entrega mensal das declarações de remunerações, tendo a primeira fase do novo processo de entrega pelas empresas à Segurança Social arrancado no passado dia 1 de maio. A segunda fase decorreu entre 1 a 10 de junho e a terceira fase decorrerá entre 1 a 10 de setembro deste ano.

De acordo com a informação disponível no portal da Segurança Social, "nesta terceira fase, que decorre entre os dias 1 e 10 de setembro com a entrega da declaração de remunerações relativa ao mês de agosto, não serão aceites declarações que, ao serem submetidas, apresentem os seguintes erros: DS50 - taxa contributiva declarada pela entidade empregadora para o trabalhador é diferente da existente no Sistema de Informação da Segurança Social - e DS23 - o somatório das remunerações é diferente do total das remunerações declarado".

As empresas estão a ser notificadas pela Segurança Social através de e-mail e será dada formação interna aos serviços para que estes estejam aptos a ajudar as entidades empregadoras.

A declaração de remunerações enviada para a Segurança Social é um documento onde constam todas as quantias pagas ao trabalhador que são objeto de descontos e respetivas taxas contributivas aplicadas.

O envio desta informação tem de ser feito mensalmente, entre os dias 1 e 10 de cada mês.

De acordo com o executivo, "a alteração do processo de entrega da declaração de remunerações permitirá uma diminuição da evasão contributiva e contribuirá para uma maior eficácia na cobrança, permitindo alcançar em 2016, uma cobrança adicional de contribuições e quotizações de cerca de 50 milhões de euros".

Lusa

  • Marcelo Rebelo de Sousa avisou que depois das autárquicas viria um novo ciclo. A lógica levou-nos a assumir que estava a falar do PSD, mas hoje, olhando para a situação política, devemos também incluir nessa previsão a “geringonça” e os seus equilíbrios. Não acredito que as coisas mudem até às legislativas, mas as contas só se fazem depois dos votos das autárquicas. Até lá, o tom de voz das esquerdas vai engrossar.

    Bernardo Ferrão

  • Milhares na cidade da justiça de Barcelona
    1:44
  • Detido 5º suspeito do atentado de Barcelona

    Mundo

    As autoridades espanholas detiveram hoje na região de Valência um cidadão marroquino de 24 anos, residente em Espanha, por alegada colaboração com o grupo islâmico responsável "pelos atentados terroristas" em Barcelona, em agosto.

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Presidente das Filipinas pede que matem o filho se estiver envolvido nas drogas

    Mundo

    O Presidente das Filipinas pediu que matassem o seu filho se as acusações de que traficava droga fossem provadas. Rodrigo Duterte destacou ainda que, caso fosse verdade, iria proteger as autoridades que executassem Paolo Duterte. Em causa está a acusação de que o filho do Presidente filipino faria parte da máfia chinesa, que contrabandeia drogas, vindas da China para dentro do país.

    SIC

  • Espanhola tenta provar há sete anos que está viva

    Mundo

    Uma mulher de 53 anos está há sete anos a tentar provar que está viva. Segundo o Estado espanhol, Juana Escudero Lezcano morreu a 13 de maio de 2010, mas na realidade quem morreu foi uma mulher com o mesmo nome e data de nascimento.

    SIC