sicnot

Perfil

Economia

Exportações de vestuário cresceram 6,8% no primeiro semestre

Apesar do comércio fora da União Europeia ter diminuído, as vendas de vestuário de Portugal dentro da UE aumentaram mais de 7%.

Reuters

As exportações de vestuário português aumentaram 6,8% nos primeiros seis meses de 2016, ultrapassando os 1,5 mil milhões de euros, segundo divulgou hoje a Associação Nacional das Indústrias de Vestuário e Confeção (ANIVEC).

O aumento de quase 100 milhões de euros nas vendas internacionais face ao período homólogo de 2015 resultou de um crescimento de 7,7% nos envios para os países comunitários, já que o comércio extra-UE diminuiu 3,2%.

A tendência foi positiva na quase totalidade dos 10 principais mercados do vestuário nacional, com destaque para Espanha (13,7%), Suécia (26%), Bélgica (10%) Itália (13,1%), Áustria (6,7%) e Países Baixos (5,7%).

Apenas a França apresentou um decréscimo de 1,4%.

Fora da União Europeia, salienta-se o aumento das compras por parte dos Estados Unidos (6,9%), bem como o crescimento de 107% das exportações para a Arábia Saudita e de 67% para a República Checa.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.