sicnot

Perfil

Economia

Emigrantes lesados do BES manifestam-se em Lisboa na sexta-feira

​A Associação Movimento Emigrantes Lesados Portugueses (AMELP) convocou uma manifestação para sexta-feira, em Lisboa, para mostrar que os emigrantes estão "cansados de promessas", de acordo com o comunicado enviado à agência Lusa.

Os emigrantes vão concentrar-se junto à sede do Novo Banco, às 11h30, na Avenida da Liberdade, e depois vão marchar até ao Banco de Portugal, na Rua do Comércio.

"Não queremos promessas, queremos honra nos compromissos que connosco foram assumidos! Dizemos não à mentira, não à falta de escrúpulos! Chega de sermos enganados! "Promessas leva-as o vento", ó sábio ditado popular! De facto, andamos cansados de promessas!", lê-se no comunicado da AMELP.

A associação recorda que os emigrantes lesados não aceitam "uma proposta indecente", em referência à solução comercial proposta pelo Novo Banco que foi aceite por 6 mil clientes emigrantes, que tinham investido cerca de 500 milhões de euros em produtos de poupança.

"Sim, a nossa luta não começou mais cedo porque educadamente e silenciosamente acreditámos mais uma vez em gestores e funcionários que diziam que em breve nos iria ser devolvido o nosso dinheiro. Pois, mas até aos dias de hoje não nos foi devolvido nem um único tostão! Queremos o nosso dinheiro! Mas não queremos uma proposta 'indecente' como aquela que já nos foi apresentada, não a vamos assinar, não a assinaremos! É o nosso dinheiro que queremos e nada abaixo disso", lê-se no comunicado.

Após a resolução do Banco Espírito Santo (BES), a 4 de agosto de 2014, os emigrantes lesados ascendiam a 8 mil, num total de 728 milhões de euros de dinheiro investido.

De acordo com comunicado enviado à CMVM pelo Novo Banco, a 28 de junho, já foi concluída a execução da solução comercial aceite por 6 mil clientes emigrantes que, segundo fonte oficial, abrangeu "aplicações no valor de 500 milhões de euros e prevê recuperar até 90% do capital investido".

Por resolver continua a situação de todos os clientes emigrantes que não aceitaram a proposta do Novo Banco por considerarem que não era justa e não se adequava ao seu perfil, uma vez que implicava a subscrição de obrigações de longa duração do Novo Banco e em que os depósitos a prazo estarão condicionados ao valor dessas obrigações.

"Não queremos saber se 80% aderiu à proposta. Nós, os 20%, não estamos para ser enganados uma segunda vez e tanto mais não consideramos que aquilo seja uma "solução" como foi apelidada pelo Novo Banco! O vocábulo 'solução' significa 'aquilo que resolve, soluciona (problema, dificuldade etc.)'. Entendemos que tal proposta não foi solução alguma", continua a AMELP no comunicado.

Na manifestação da próxima sexta-feira, os emigrantes lesados vão ter como palavras de ordem "Não mandar mais dinheiro para Portugal e para os bancos portugueses" e vão reclamar "honra nos compromissos" que com eles "foram assumidos".

A AMELP é constituída por mais de 400 associados, sobretudo trabalhadores emigrantes portugueses, e já protagonizou vários protestos em Paris e em cidades portuguesas, com o objetivo de reaver as poupanças dos emigrantes.

Lusa

  • A queda do Grupo Espírito Santo
    2:14

    Queda do BES

    O império Espírito Santo começou a ruir há exatamente dois anos. A face mais visível da queda foi o nascimento do Novo Banco, que herdou a parte boa do BES. Contudo, a instituição continua por vender e o Governo até já fala em liquidação.

  • Império Espírito Santo caiu há dois anos
    2:33

    Queda do BES

    Faz hoje dois anos que o império Espírito Santo começou a ruir. A face mais visível da queda foi o nascimento do Novo Banco, que herdou a "parte boa" do BES. No entanto, a instituição criada para gerir esses ativos continua por vender e o Governo pôs já em hipótese a liquidação do banco.

  • Tomadas medidas para evitar danos ambientais após acidente na barra da Armona
    1:49

    País

    Quatro tripulantes foram transportados para o hospital com hipotermia, depois de terem caído ao mar. A embarcação onde seguiam, e que faz trabalhos de reposição de areias, virou-se esta manhã, na ilha da Armona, em Olhão. As autoridades vão abrir um inquérito para apurar as causas do acidente e estão a tomar medidas para evitar danos ambientais, visto que a embarcação transportava 12 mil litros de gasóleo.

  • Papa no Chile em ambiente de contestação à Igreja Católica
    3:13

    Mundo

    O Papa pediu hoje perdão pelos crimes de pedofilia cometidos por membros da Igreja Católica no Chile, referindo que sentiu "dor e vergonha" diante do "dano irreparável" causado às crianças vítimas de abuso sexual. Francisco está a cumprir uma deslocação de três dias ao Chile, onde a contestação à visita e à Igreja se faz sentir. O Papa enfrenta um ambiente hostil na sexta viagem à América Latina, devido à denúncia de abusos sexuais na Igreja.

  • Reviravolta na Operação Fizz
    1:09

    País

    O juiz que vai julgar o chamado processo da Operação Fizz decidiu aceitar as denúncias de Orlando Figueira contra o presidente do Banco Atlântico e o advogado Daniel Proença de Carvalho. As acusações do principal arguido contra o banqueiro Carlos Silva e o advogado Proença de Carvalho podem trazer uma reviravolta ao processo.

  • Apoio psicológico fundamental em Vila Nova da Rainha
    2:19
  • Projeto Bairros Sem Cárie levou 300 pessoas do Seixal ao dentista
    3:08

    País

    Portugal tem dos piores indicadores de saúde oral da Europa e ir ao dentista é quase um luxo. Num país assim ganham ainda mais relevância iniciativas como o projeto Bairros Sem Cárie. 300 pessoas de bairros sociais do Seixal tiveram uma consulta de estomatologia gratuita.

  • Homem rompe a garganta ao tentar impedir espirro

    Mundo

    Impedir um espirro apertando o nariz pode causar sérias lesões. Foi o que aconteceu a um homem na Grã-Bretanha que teve de ser hospitalizado porque sofreu uma rutura na garganta ao apertar boca e nariz ao espirrar.