sicnot

Perfil

Economia

Carlos Fernandes é o novo vice-presidente da Infraestruturas de Portugal

Carlos Alberto João Fernandes é o novo vice-presidente da Infraestruturas de Portugal, substituindo José Luís Ribeiro dos Santos, que renunciou ao cargo no dia 9 de agosto, foi divulgado esta quinta-feira através da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

De acordo com um comunicado divulgado na página da internet da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Carlos Fernandes foi eleito na terça-feira.

"Nos termos e para o efeito do disposto no Regulamento n.º5/2008 da CMVM, a Infraestruturas de Portugal, S.A. (doravante "IP") informa sobre a eleição de Carlos Alberto João Fernandes para vice-presidente do Conselho de Administração Executivo da IP para completar o mandato em curso (2015-2017), com produção de efeitos a 16 de agosto de 2016", lê-se no comunicado.

Hoje foi também divulgado através da CMVM um comunicado sobre a renúncia de José Santos à vice-presidência da IP, empresa que resultou da fusão da Estradas de Portugal com a Refer.

"A Infraestruturas de Portugal, S.A. informa que o vice-presidente do Conselho de Administração Executivo, José Luís Ribeiro dos Santos, apresentou no dia 09 de agosto, aos órgãos competentes, a renúncia ao cargo de vice-presidente do Conselho de Administração Executivo da Infraestruturas de Portugal, S.A.", diz a informação.

António Laranjo assumiu a presidência do Conselho de Administração da Infraestruturas de Portugal, com efeitos a partir de 1 de agosto, depois da saída de António Ramalho para a liderança do Novo Banco.

Lusa

  • Elemento dos Super Dragões com medida de coação mais gravosa
    1:37

    Desporto

    Os seis arguidos da Operação Jogo Duplo, que investiga crimes de corrupção e viciação de resultados na II Liga de futebol, saíram em liberdade. A medida de coação mais gravosa é para um membro da claque Super Dragões, que terá de pagar uma caução de 5 mil euros.

  • Mais de 120 pessoas com hepatite A
    2:23

    País

    O surto de hepatite A já infetou 128 pessoas, 60 das quais estão internadas em hospitais de Lisboa e Coimbra. A Direção-Geral da saúde recomenda a vacinação apenas aos familiares dos doentes. Apesar de não haver ruptura de stocks, há farmácias que não têm vacinas.

  • Sobreviventes de Mossul relatam mutilações e execuções do Daesh
    1:32