sicnot

Perfil

Economia

Autoeuropa de Palmela vai laborar com um turno diário a partir de 2.ª feira

A fábrica da Volkswagen Autoeuropa, em Palmela, vai reduzir a sua laboração a partir de segunda-feira para apenas um turno diário e passar a produzir 353 carros por dia, disse esta terça-feira fonte oficial da empresa.

"A partir de segunda-feira (dia 29 de agosto) vamos arrancar (apenas) com um turno diário na fábrica da Volkswagen Autoeuropa e produzir 353 carros por dia", afirmou à agência Lusa a mesma fonte.

No final de maio, em comunicado, a Autoeuropa referia que o volume de encomendas previsto desde o início do ano representava "uma redução de 19% face ao ano anterior, concentrada no segundo semestre".

Na mesma nota, a empresa dizia que a Comissão de Trabalhadores (CT) e a administração da Volkswagen Autoeuropa tinham concordado em reduzir a laboração da fábrica de Palmela para apenas um turno diário, a partir de setembro, e que o acordo com os trabalhadores tinha sido alcançado a 24 de maio.

"O modelo encontrado prevê a redução do volume diário e a respetiva produção num único turno a partir de setembro, sem dias de paragem coletiva adicionais. Possibilita também a gestão individual do tempo de trabalho e a continuação dos programas de qualificação e de mobilidade internacional em outras fábricas do grupo Volkswagen", salientava.

A administração da Autoeuropa afirmava-se confiante de que esta solução "permitirá a manutenção do emprego e do rendimento dos colaboradores, sem colocar em causa a produtividade da unidade de Palmela".

A CT da Autoeuropa, que deu parecer favorável à proposta da administração, considerou que o novo acordo salvaguarda os interesses dos trabalhadores.

"Está salvaguardada a situação de alguns casais que tinham horários diferentes por razões familiares. Os trabalhadores que recebiam subsídio de turno também não perdem rendimento, uma vez que serão compensados com o trabalho extraordinário que será necessário fazer para dar resposta às encomendas feitas à fábrica de Palmela", disse na ocasião o coordenador da CT da Autoeuropa, António Chora.

"Acreditamos que a redução para um turno é uma situação transitória e que o futuro está ao nosso alcance. Queremos também mostrar à casa-mãe que sabemos adaptar-nos às circunstâncias", acrescentou o representante dos trabalhadores da Autoeuropa.

Segundo António Chora, apesar da redução para apenas um turno a partir de setembro, tudo indica que, num futuro próximo, com a produção de um novo modelo, a fábrica de Palmela "vai deixar de ser uma fábrica de nicho para produzir produtos de grande consumo".

A administração da Autoeuropa, que também considera a situação atual como um momento de transição para o crescimento a partir do segundo semestre de 2017, disse estar em contacto com os seus fornecedores, para tentar "minimizar o impacto desta alteração no seu funcionamento".

Lusa

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN interrompeu perto das 13:00 a leitura do acórdão iniciada pelas 10:30. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas.

  • Papa pede a Trump para ser pacificador
    1:12
  • Supremo confirma condenação de Messi por fraude fiscal

    Desporto

    O Supremo Tribunal de Justiça espanhol confirma a condenação de Lionel Messi por fraude fiscal. A notícia foi avançada pelo El País. O jogador do Barcelona foi condenado a 21 meses de prisão por três crimes fiscais que lesaram o Estado em 4,1 milhões de euros.

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.