sicnot

Perfil

Economia

China fecha fábricas e ordena férias obrigatórias antes de cimeira do G20

© Aly Song / Reuters

As autoridades chinesas encerraram fábricas e ordenaram férias obrigatórias para os trabalhadores antes da realização, a 4 e 5 de setembro, de uma cimeira de líderes do G20, o grupo que reúne 20 potências económicas, na China.

O município de Hangzhou ordenou o encerramento para férias dos estabelecimentos da baixa da cidade de 1 a 07 de setembro, de acordo com informação veiculada numa conta oficial nas redes sociais.

As autarquias encorajaram também os cidadãos a gozarem as suas férias fora da cidade, na esperança de reduzir o congestionamento do trânsito.

A cidade passou meses a preparar-se para a cimeira e sofreu uma profunda remodelação, numa tentativa de tornar a circulação mais eficiente.

Juntamente com as férias compulsivas, alguns tipos de fábricas num raio de 300 quilómetros de Hangzhou foram obrigadas a encerrar durante 12 dias, para garantir que o céu estará azul durante a presença dos dignitários visitantes, de acordo com páginas oficiais na Internet.

A ordem abrange as unidades de produção de químicos, materiais de construção e manufatura de têxteis que se estendem de Xangai a outras quatro províncias.

A China dá frequentemente ordens de encerramento generalizado das fábricas para limpar os céus cronicamente poluídos da maioria das principais cidades.

A última vez que tal aconteceu foi no ano passado, por ocasião de uma grande parada militar para assinalar o aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial.

A atmosfera limpa foi batizada como "azul parada" pelos cidadãos chineses, fazendo eco do "azul APEC" que puderam apreciar em 2014, antes da cimeira do grupo de Cooperação Económica Ásia-Pacífico em Pequim.

Na altura, os comentadores online desvalorizaram a tonalidade de azul, classificando-a como "algo que é belo mas fugaz e, em última análise, artificial".

Lusa

  • Presidente do Tondela diz que clube foi humilhado
    1:26

    Desporto

    O presidente do Tondela participou esta segunda-feira na conferência de imprensa após o jogo da 23.ª jornada da I Liga com o Sporting. Gilberto Coimbra criticou o árbitro do encontro João Capela, e diz que o tempo de compensação dado a mais foi por uma falta que não foi assinalada sobre um jogador do Tondela, Bruno Monteiro.

  • Último golo do Sporting ao Tondela "é legal e limpinho" 
    0:41

    Desporto

    Jorge Jesus entende que a vitória desta segunda-feira do Sporting frente ao Tondela não merece contestação e destaca o facto de o árbitro ter avisado os jogadores que iria prolongar o tempo extra. Para o treinador dos leões, o golo no minuto 99' é legal. 

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC