sicnot

Perfil

Economia

PS pede ajuda a dirigentes para pagar água e luz

PS pede ajuda a dirigentes para pagar água e luz

Os Partido Socialista está em falência e com um passivo de 21 milhões de euros. Numa altura em que há iniciativas a serem canceladas por falta de verbas, o partido está a agora a pedir aos dirigentes de todo o país que paguem, em lugar das contribuições, as despesas de água e luz do próprio bolso.

  • PS pede aos coordenadores locais que assumam o pagamento de despesas

    País

    A notícia faz capa no Jornal de Notícias de hoje, que diz que o partido atravessa várias dificuldades financeiras com um passivo de 21 milhões de euros e que está a deixar as concelhias e as federações do partido em guerra. De acordo com o JN, as distritais de Coimbra, Setúbal e Porto e as concelhias de Montemor-o-novo, Miranda do Corvo, Tábua e Oliveira do Hospital são as que reúnem maiores dificuldades.

  • Gastos dos partidos na campanha para as legislativas

    Economia

    Durante a campanha das legislativas do ano passado, o PS pagou 751 mil euros a um militante e ex-funcionário do partido pela organização de cerca de 20 comícios. Já a coligação Portugal à Frente pagou quase meio milhão de euros ao publicitário da campanha.

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN, liderado por Luis Ribeiro, deu início à leitura do acórdão pelas 10:30, com quatro arguidos ausentes do tribunal, entre os quais Oliveira Costa. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.