sicnot

Perfil

Economia

Quase 12 mil funcionários aderem ao programa de rescisões amigáveis da Petrobras

A petrolífera estatal brasileira Petrobras informou esta sexta-feira que 11.704 funcionários aderiram ao programa de rescisões amigáveis desde 01 de abril, sendo que as inscrições já foram encerradas.

Em comunicado, a empresa esclareceu, contudo, que "o número ainda pode ser alterado, em função de inscrições realizadas em papel e postadas até 31 de agosto", acrescentando que os empregados podem desistir da adesão "até a data de homologação da rescisão".

"O cronograma de desligamentos foi iniciado em 16 de junho e, até o momento, 2.450 empregados tiveram os seus contratos de trabalho encerrados", adiantou.

A empresa tinha como meta que "cerca de 12 mil empregados" aderissem ao programa, "com um custo previsto de 4,4 mil milhões de reais [1,213 mil milhões de euros] e uma economia esperada de 33 mil milhões de reais [9 mil milhões de euros] até 2020", lê-se na nota.

A Petrobras - que está no centro do maior caso de corrupção da história do Brasil, conhecido como Operação Lava Jato - teve perdas recordes em 2015, sendo prejudicada também pela queda do preço do barril de petróleo e pela desvalorização do real.

No primeiro trimestre deste ano, a empresa registou um prejuízo de 1,2 mil milhões de reais (330,8 milhões de euros), mas no segundo trimestre teve um lucro líquido de 370 milhões de reais (102 milhões de euros).

Lusa

  • A proposta dos partidos para a redução da dívida
    1:55

    Economia

    O PS e o Bloco de Esquerda querem mais 45 anos para pagar as dívidas à UE e juros mais baixos. As medidas fazem parte da proposta para a redução da dívida pública. No relatório que será enviado ao Governo, não é pedido perdão da dívida como os partidos da esquerda chegaram a defender.

  • Ministros de Governos de Sócrates ouvidos pelo Ministério Público
    1:54
  • Suspeito de atropelamento mortal fala de acidente 
    2:00
  • "Têm um verdadeiro amigo na Casa Branca"

    Mundo

    O Presidente norte-americano reafirmou esta sexta-feira o apoio ao direito de porte de armas no país, sublinhando, numa convenção daquele 'lobby', que "o ataque de oito anos às liberdades consagradas no Artigo 2.º [da Constituição]" terminou.

  • A história de Macron e Brigitte Trogneux, 25 anos mais velha
    1:25

    Eleições França 2017

    A segunda volta das eleições francesas acontece já no próximo dia 7 de maio. Caso Emmanuel Macron seja eleito, o país terá como primeira-dama uma mulher 25 anos mais velha do que o Presidente. Brigitte Trogneux tem 64 anos e Macron 39, conheceram-se no liceu privado de jesuítas, em Amiens. Brigitte era a professora e Macron o aluno. Conheça a história do casal. 

  • Autoridades garantem ter evitado novo ataque terrorista em Londres
    0:59

    Mundo

    A polícia britânica garante que evitou um novo atentado em Londres. Mulher baleada faz parte das oito pessoas que foram detidas numa operação antiterrorista na capital britânica e no sul de Inglaterra. A operação realizou-se após a detenção de um homem com três facas, nas imediações do Parlamento britânico.

  • Presidente da Macedónia convocou reunião de emergência

    Mundo

    O Presidente da Macedónia, Gjorge Ivanov, convocou esta sexta-feira uma reunião de emergência com líderes políticos, após manifestantes, maioritariamente apoiantes da maioria conservadora, invadirem o Parlamento e atacarem deputados da oposição, fazendo 77 feridos.

  • Polícia espanhola divulga imagens de operação anti-jihadista

    Mundo

    A polícia espanhola divulgou esta sexta-feira novas imagens da operação anti-jihadista levada a cabo na terça-feira em Barcelona. Sabe-se agora que dois dos nove suspeitos detidos podem estar relacionados com a célula terrorista de Bruxelas, responsável pelos ataques no Aeroporto de Zaventem e no metro da capital belga.

  • Menina que nasceu com três pernas já corre

    Mundo

    Uma criança do Bangladesh que cresceu com três pernas vai regressar a casa, depois de uma viagem até à Austrália, onde foi operada para retirar o membro a mais. Como resultado de um gémeo que não se formou por completo, a criança de três anos nasceu com uma terceira perna na pélvis. Alguns meses após a cirurgia, feita em novembro, a menina já corre.