sicnot

Perfil

Economia

Costa salienta no Brasil que Portugal cumpre défice e tem cooperação institucional

O primeiro-ministro afirmou esta terça-feira que Portugal vai cumprir a meta de défice acordada com a Comissão Europeia, 2,5 por cento, sendo praticamente "assunto encerrado", e que o país é atualmente "um bom exemplo" de cooperação institucional.

SEBASTI\303\203O MOREIRA

António Costa falava no início de um almoço que juntou cerca de duas centenas de empresários e que foi promovido pela Câmara Portuguesa de São Paulo.

Perante uma plateia sobretudo constituída por empresários brasileiros, o primeiro-ministro defendeu a ideia de que Portugal se encontra numa conjuntura de recuperação, tanto ao nível financeiro, como em termos de criação de condições para uma fase de crescimento económico sustentável, começando por dizer que este ano o país cumprirá a meta de défice de 2,5 por cento acordada com Bruxelas, saindo assim a prazo do procedimento por défice excessivo na União Europeia.

"Apesar de o crescimento económico ser mais baixo do que o estimado inicialmente [pelo Governo], tal não vai impedir o cumprimento da meta de défice este ano. Os dados de agosto último sobre a evolução da despesa e da receita indicam isso e, praticamente, trata-se de um assunto encerrado", declarou.

Ainda na fase em que expôs aos empresários brasileiros as condições para a existência de investimento seguro em Portugal, o primeiro-ministro invocou uma conjuntura política de estabilidade no país, havendo um clima de "excelência ao nível da cooperação institucional entre os diferentes órgãos de soberania".

"Por outro lado, vamos iniciar um novo ciclo de aplicação de fundos comunitários, cerca de 21 mil milhões de euros para investir nos próximos anos", acenou ainda.

Em relação a projetos em concreto para investimento, o primeiro-ministro apresentou casos em termos de infraestruturas como o porto de Sines, a ligação ferroviária de Sines a Espanha, mas também projetos em áreas como a economia do mar e as novas tecnologias - ponto em que destacou a cooperação entre a ciência portuguesa e a multinacional brasileira do setor aviação, a Embraer.

Mas António Costa deixou também uma nota de insatisfação face ao atual nível das relações económicas luso- brasileiras.

"Não basta dizer que Portugal é a porta de entrada do Brasil na Europa e que o Brasil é a porta de entrada de Portugal no Mercosul, porque quando as portas não se abrem funcionam como muros. É preciso que os empresários brasileiros entrem em Portugal, instalem-se em Portugal e invistam, porque estão a investir na Europa", declarou.

Lusa

  • Atentados na Catalunha estão relacionados, 14 mortos

    Ataque em Barcelona

    Uma pessoa morreu e cinco suspeitos foram abatidos num segundo ataque esta madrugada em Espanha, depois do atentado de ontem que fez 13 mortos em Barcelona. As operações de busca centram-se num nome: Moussa Oukabir. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • Driss Oukabir: suspeito do atentado ou vítima de roubo de identidade?
    2:40

    Ataque em Barcelona

    Um dos dois suspeitos, do ataque nas Ramblas, detidos pela polícia foi inicialmente identificado como Driss Oukabir, um homem de 28 anos. Mais tarde, um homem com o mesmo nome apresentou-se numa esquadra em Girona, a mais de 100 quilómetros do local do atropelamento afirmando que lhe tinha sido roubada a identificação. De acordo com alguma imprensa espanhola, poderá ter sido o irmão, Moussa Oukabir, um jovem de 18 anos que vive em Barcelona, como explicou também Nuno Rogeiro, comentador da SIC.

  • "Nas Ramblas, é como se nada tivesse acontecido"
    1:35

    Ataque em Barcelona

    Um atentado terrorista em Barcelona matou 13 pessoas e feriu cerca de 100. O ataque aconteceu na zona das Ramblas, quando uma carrinha avançou sobre quem circulava nessa grande via no centro da capital da Catalunha. O repórter Emanuel Nunes está em Barcelona e deu conta do regresso à normalidade nas Ramblas, logo às primeiras horas da manhã.

  • Barcelona abalada pelo terrorismo
    1:03
  • "O abandono provoca incêndios desta dimensão"
    0:55

    País

    O antigo vereador da Câmara de Mação José Silva acredita que a desertificação do interior também é, em parte, responsável pelos incêndios. Segundo José Silva, Mação tem cada vez menos habitantes e é por essa razão que os terrenos são deixados ao abandono.

  • Mação perdeu 80% da área florestal
    3:39
  • Médicos e ministro da Saúde voltam hoje às negociações

    País

    O Ministério da Saúde deverá apresentar uma proposta que poderá ser decisiva para a convocação ou não de uma nova greve. O Sindicato Independente dos Médicos e a Federação Nacional de Médicos tinham anunciado, no dia 11 de agosto, que vão realizar uma greve de dois dias na primeira semana de outubro, se a nova proposta negocial não levar em conta o que reivindicam.