sicnot

Perfil

Economia

Economia da zona euro cresce 1,6% no 2.º trimestre

A economia da zona euro cresceu 1,6% e a da União Europeia (UE) 1,8% no segundo trimestre do ano, em termos homólogos, face ao mesmo trimestre do ano anterior, segundo dados divulgados esta terça-feira pelo Eurostat.

Já na comparação com o primeiro trimestre de 2016, o Produto Interno Bruto (PIB) da zona euro aumentou, entre abril e junho, 0,3% na zona euro e 0,4% na UE, a um ritmo mais moderado que no trimestre anterior (0,6 e 0,5% respetivamente).

No que respeita às economias dos Estados-membros, os maiores crescimentos face ao primeiro trimestre do ano foram registados na Roménia (1,5%), na Hungria (1,0%), na República Checa, na Polónia e na Eslováquia (0,9% cada), tendo os PIB permanecido estáveis em França, em Itália e na Finlândia.

Na comparação homóloga, a Roménia (5,9%), a Eslováquia (3,7%), a Espanha (3,2%) e a Suécia (3,1%) registaram as maiores subidas no PIB, tendo a única diminuição sido assinalada na Grécia (-0,9%).

A economia portuguesa cresceu entre abril e junho 0,9% na comparação homóloga e 0,3% face ao trimestre anterior.

O boletim hoje divulgado pelo gabinete oficial de estatísticas da UE confirma as estimativas avançadas em julho para os PIB da zona euro e do conjunto dos Estados-membros.

Lusa

  • BCE diz que economia da zona euro deve crescer 1,6% em 2016
    1:13

    Economia

    Na reunião do Conselho de Governadores do BCE que decorreu hoje, Mário Draghi estimou ainda que o PIB aumente 1,7% em 2017 e 208. O presidente do BCE defendeu que os países devem concentrar-se na aplicação das reformas estruturais e tomar medidas para aumentar a produtividade. Mario Draghi sublinha que é sobretudo o consumo interno que está a promover a recuperação económica, ao contrário das exportações que continuam em queda.

  • AR começa hoje a votar OE e mais de 600 alterações dos partidos

    Orçamento do Estado 2018

    Entre os temas que deverão marcar os próximos dias de debate e das votações relativas à proposta orçamental de 2018, cuja votação final global será na segunda-feira, estão as medidas relacionadas com os incêndios, as alterações ao regime simplificado de IRS, as carreiras na função pública (e em especial a dos professores) e as cativações de despesa.

  • "Estamos vivos"
    11:41
  • Notas e moedas têm os dias contados?
    6:27