sicnot

Perfil

Economia

CGTP quer aumentos de 4% para 2017

A CGTP aprovou esta quarta-feira a sua proposta reivindicativa para 2017, que prevê aumentos salariais de 4%, que garantam um mínimo de 40 euros a cada trabalhador, e o aumento do salário mínimo nacional (SMN) para os 600 euros.

O documento que define as prioridades da política reivindicativa da Intersindical para o próximo ano foi aprovado pelo Conselho Nacional e recuperou as principais reivindicações apresentadas há um ano.

A valorização dos salários e o combate à pobreza e à exclusão social são os pontos fortes da proposta reivindicativa que vai servir de referência aos sindicatos da CGTP.

Para a Inter, um aumento de 4% será um "elemento estruturante para uma mais justa repartição da riqueza, a dinamização da economia e a criação de emprego".

Na proposta reivindicativa a central sindical salienta a quebra verificada no peso dos salários nos últimos 15 anos, passando de 37,4% do valor do PIB em 2000, para 33,6% em 2015.

Citando dados do INE, a CGTP refere ainda que os salários caíram 8% entre 2010 e 2015, ao mesmo tempo que a inflação cresceu 8,4% e a produtividade aumentou 4,5%.

Segundo a central sindical, que refere um relatório do Governo, 36% dos novos contratos de trabalho são feitos com base numa remuneração igual ao SMN, que é atualmente de 530 euros.

A reposição de direitos, o combate à precariedade, a redução do horário de trabalho e o respeito pela contratação coletiva são outras das reivindicações defendidas pela Inter na sua proposta.

Lusa

  • Captura ilegal de cavalos-marinhos na Ria Formosa
    3:02

    País

    Há cada vez menos cavalos marinhos na Ria Formosa. Cientistas da Universidade do Algarve dizem que a maior população desta espécie no mundo, que é a que existe na Ria Formosa, está ameaçada devido à captura ilegal para o mercado asiático. Dizem que, se nada for feito para travar este fenómeno, esta espécie protegida pode desaparecer em poucos anos.