sicnot

Perfil

Economia

Costa viaja para Atenas em preparação da cimeira informal dos estados-membros da UE

© Reuters

O primeiro-ministro, António Costa, estará na sexta-feira na capital da Grécia para uma cimeira de líderes dos países do sul da União Europeia (UE), que prepararão a cimeira informal dos estados-membros da UE marcada para a próxima semana.

A reunião, promovida por Atenas, contará, para além do primeiro-ministro helénico, Alexis Tsipras, e do seu homólogo português, com os chefes dos executivos de Chipre, França, Itália e Malta.

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, foi também convidado para a cimeira mas não marcará presença porque com o executivo espanhol em gestão a agenda internacional do chefe do Governo limita-se a cimeiras imprescindíveis. Estará presente, contudo, na reunião europeia informal de 16 de setembro em Bratislava (Eslováquia), encontro no qual o Reino Unido não irá participar e em que será debatido o futuro da União após o Brexit.

O plano de Tsipras para a reunião de sexta-feira passa por abordar com os seus parceiros mediterrânicos os desafios que a UE enfrenta nos planos económico, político e institucional, e procurar uma posição conjunta face aos diversos desafios.

Fontes do executivo helénico explicaram já que o encontro pretende também abordar a capacidade dos países do sul da Europa de influenciar a agenda europeia em questões como a defesa do acervo social europeu, o desenvolvimento económico e a crise de refugiados.

No começo do mês, António Costa revelou ao Público que levará a Atenas a ideia de se apoiar o "investimento na regeneração urbana contra o terrorismo", ao nível europeu, considerando o chefe do Governo, em declarações ao jornal, que "as pessoas estão preocupadas com o terrorismo, mas não veem qualquer imagem de coordenação das instituições e dos governos europeus, nomeadamente em relação aos refugiados".

A reunião dos chefes de Governo decorrerá na sexta-feira entre as 13:00 e as 16:30 de Atenas, mais duas que em Lisboa.

O desemprego jovem, as relações europeias com vários países (inclusive do norte de África), e políticas dedicadas ao "crescimento e investimento" económico irão marcar também a conversa dos líderes do sul da Europa, precisou fonte do gabinete de António Costa.

No domingo, Costa participa em Berlim num jantar a convite da chanceler alemã, Angela Merkel, naquele que será o terceiro encontro entre os dois desde que Costa é primeiro-ministro.

Fonte do Governo disse à agência Lusa que as iniciativas de Atenas e Berlim são dois dos principais encontros de carácter político da agenda europeia de António Costa e que servem de preparação para a reunião informal de Bratislava (Eslováquia) no próximo dia 16.

Quem também estará na capital grega mas já na quinta-feira, é a vice-presidente do PSD Maria Luís Albuquerque, que foi convidada pelo partido grego Nova Democracia para transmitir a sua experiência enquanto ex-ministra das Finanças.

Maria Luís é uma das oradoras da conferência "Melhores práticas europeias: uma força motriz para a Grécia" e abordará a "recuperação económica de Portugal", respondendo também a questões de vários dos presentes. A sessão arranca com a intervenção do líder da Nova Democracia, Kyriakos Mitsotakis, que recentemente esteve na Universidade de Verão do PSD.

Lusa

  • Governo enfrenta vaga de contestação
    2:35

    Economia

    O Governo enfrenta uma onda de contestação. Guardas prisionais, procuradores, professores, médicos e enfermeiros descontentes ameaçam com greves nos diferentes setores, já nos meses de março e abril.

  • Proposta criação de 77 mil empregos através de uma descida da TSU
    1:23
  • Alertas de fogos e outras catástrofes por SMS

    País

    As operadoras de telecomunicações deverão começar já este ano a enviar mensagens de alerta em caso de catástrofes. O sistema de avisos à população deverá entrar em vigor ainda antes da época de incêndios

  • Os grandes desafios de Rui Rio, segundo Poiares Maduro
    7:43

    O ex-ministro de Pedro Passos Coelho, Miguel Poiares Maduro, falou com a SIC sobre o que reserva o futuro para o PSD e quais serão os principais desafios na área económica para a liderança de Rui Rio. O défice, a descentralização, o próximo Orçamento do Estado e a eventualidade de um bloco central foram alguns dos temas da conversa. Uma entrevista transmitida esta quarta-feira, no programa Negócios da Semana.

  • 296 mortos em 2 dias de bombardeamentos em Ghouta Oriental
    2:16
  • Tiroteio na Florida foi o 18.º registado em meio escolar nos EUA desde janeiro
    1:25
  • Quem é Elon Musk?
    9:42