sicnot

Perfil

Economia

Lucro das seguradoras baixa 77% para 99 M€ no semestre

O resultado líquido combinado das seguradoras que são supervisonadas em Portugal fixou-se em 99 milhões de euros no primeiro semestre, contra o lucro global de 432 milhões de euros no período homólogo de 2015, informou esta quarta-feira o supervisor.

"No final do primeiro semestre de 2016, os resultados líquidos das empresas de seguros sob supervisão prudencial da ASF foram de cerca de 99 milhões de euros (das 46 empresas de seguros, 34 apresentam valores positivos)", lê-se no relatório da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF).

No primeiro semestre de 2016, a produção de seguro direto, relativa à atividade em Portugal, das empresas de seguros sob a supervisão da ASF apresentou, em termos globais, uma diminuição de 21,8% face ao semestre homólogo de 2015, para a qual foi determinante o significativo decréscimo de 32,3% verificado no ramo Vida.

"Neste contexto, importa, contudo, realçar pela positiva o crescimento de 5,6% verificado em Não Vida, para o qual contribuíram os acréscimos verificados na generalidade dos ramos não vida, realçando-se o acréscimo de 12,7% em Acidentes de Trabalho", sublinhou o supervisor.

No mesmo período, os custos com sinistros registaram um ligeiro aumento de 0,1%, em resultado do decréscimo de 1% no ramo Vida e do acréscimo de 4,8% nos ramos Não Vida.

No final do primeiro semestre de 2016, o valor das carteiras de investimento das empresas de seguros totalizou 49,8 mil milhões de euros, tendo decrescido 3,6% durante este período.

Na mesma data o volume de provisões técnicas ascendeu a 44,5 mil milhões de euros, correspondendo a uma redução homóloga de 2,6%.

Os rácios de cobertura do Requisito de Capital de Solvência (SCR) e do Requisito de Capital Mínimo (MCR) em junho de 2016, situaram-se em 122% e 342%, respetivamente.

Lusa

  • Governo vai avaliar situação da associação Raríssimas
    1:41

    País

    O Governo promete avaliar a situação da instituição Raríssimas e agir em conformidade, depois da denúncia de alegadas irregularidades na gestão financeira. A presidente da instituição terá usado dinheiro da Raríssimas para gastos pessoais como vestidos de alta-costura e alimentação. Esta é uma instituição que apoia doentes e famílias que convivem de perto com doenças raras. 

  • Diáconos permanentes: quem são e que cargo ocupam na comunidade católica
    10:04
  • Múmia quase intacta descoberta em Luxor
    1:23

    Mundo

    O Egito anunciou, este sábado, a descoberta de dois pequenos túmulos com 3.500 anos na cidade de Luxor. Foram também encontrados uma múmia em bom estado de conservação, uma estátua do deus Ámon Ra e centenas de artefactos de madeira e cerâmica ou pinturas intactas.