sicnot

Perfil

Economia

Ações da Samsung afundam mais de 7% devido a anomalia em baterias

As ações da Samsung afundaram hoje depois de o gigante da eletrónica sul-coreano ter advertido os clientes em todo o mundo para pararem de usar o seu smartphone Galaxy Note 7 devido a casos de baterias que explodiram.

A Samsung Electronics - o maior fabricante de smartphones - anunciou no dia 02 a retirada do seu novo produto depois de detetadas anomalias nas baterias que levaram mesmo a que explodissem durante o carregamento dos aparelhos.

Desde então, companhias aéreas em todo o mundo proibiram os passageiros de usarem estes smartphones nos voos.

Com o crescente receio de que as baterias se incendeiem, com mais casos reportados na semana passada, a Samsung elevou o seu alerta, dizendo aos utilizadores do Note 7 em todo o mundo para desligarem de imediato o smartphone.

As ações da firma - a maior da Coreia do Sul em termos de valor - afundavam hoje 7,11% na bolsa de Seul ao final da manhã, para 1,46 milhões de won (1.168 euros).

"Toda a situação em torno da Samsung está a tornar-se mais séria e complicada à medida que mais autoridades nacionais em todo o mundo advertem os seus cidadãos para pararem de utilizar o Note 7", observou Hwang Min-Sung, analista na Samsung Securities.

As repercussões da retirada do mercado - que envolve 2,5 milhões de aparelhos vendidos até ao momento em dez países - pode reduzir o lucro da firma no final do ano em mais de um bilião de won (800,5 mil milhões de euros), alertou o mesmo responsável.

A retirada é a primeira envolvendo o 'smartphone' de bandeira da Samsung e desferiu um golpe na reputação da empresa.

A Samsung lançou o Note 7 mais cedo do que esperado - antes do lançamento do iPhone 7, no dia 07.

O Galaxy Note7 é um dispositivo topo de gama, resistente à água e com scanner de íris ocular, que está a ser comercializado mundialmente desde 19 de agosto.

O lançamento em Portugal, que estava previsto para a semana passada, foi adiado.

Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.