sicnot

Perfil

Economia

Ações da Samsung afundam mais de 7% devido a anomalia em baterias

As ações da Samsung afundaram hoje depois de o gigante da eletrónica sul-coreano ter advertido os clientes em todo o mundo para pararem de usar o seu smartphone Galaxy Note 7 devido a casos de baterias que explodiram.

A Samsung Electronics - o maior fabricante de smartphones - anunciou no dia 02 a retirada do seu novo produto depois de detetadas anomalias nas baterias que levaram mesmo a que explodissem durante o carregamento dos aparelhos.

Desde então, companhias aéreas em todo o mundo proibiram os passageiros de usarem estes smartphones nos voos.

Com o crescente receio de que as baterias se incendeiem, com mais casos reportados na semana passada, a Samsung elevou o seu alerta, dizendo aos utilizadores do Note 7 em todo o mundo para desligarem de imediato o smartphone.

As ações da firma - a maior da Coreia do Sul em termos de valor - afundavam hoje 7,11% na bolsa de Seul ao final da manhã, para 1,46 milhões de won (1.168 euros).

"Toda a situação em torno da Samsung está a tornar-se mais séria e complicada à medida que mais autoridades nacionais em todo o mundo advertem os seus cidadãos para pararem de utilizar o Note 7", observou Hwang Min-Sung, analista na Samsung Securities.

As repercussões da retirada do mercado - que envolve 2,5 milhões de aparelhos vendidos até ao momento em dez países - pode reduzir o lucro da firma no final do ano em mais de um bilião de won (800,5 mil milhões de euros), alertou o mesmo responsável.

A retirada é a primeira envolvendo o 'smartphone' de bandeira da Samsung e desferiu um golpe na reputação da empresa.

A Samsung lançou o Note 7 mais cedo do que esperado - antes do lançamento do iPhone 7, no dia 07.

O Galaxy Note7 é um dispositivo topo de gama, resistente à água e com scanner de íris ocular, que está a ser comercializado mundialmente desde 19 de agosto.

O lançamento em Portugal, que estava previsto para a semana passada, foi adiado.

Lusa

  • As vantagens de comprar online
    8:03
  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Filho de Trump critica mayor de Londres por palavras de 2016

    Ataque em Londres

    Donald Trump Júnior criticou o presidente da Câmara de Londres logo a seguir ao ataque de quarta-feira que fez três mortos e mais de 40 feridos. O filho de Presidente publicou no Twitter uma reação a uma declaração de Sadiq Khan de setembro de 2016. Para o Presidente dos EUA, o ataque em Londres é "uma grande notícia".

  • Marcelo reuniu-se com líderes europeus para falar do futuro da UE
    2:31

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quarta-feira em Bruxelas e participou numa homenagem às vítimas do atentado em Bruxelas, onde colocou uma coroa de flores junto ao monumento.O Presidente da República esteve também reunido com os líderes das principais instituições europeias para falar sobre o futuro da UE.