sicnot

Perfil

Economia

Risco de segundo resgate para Portugal é "baixo"

Para a agência de notação financeira Moody's, "é improvável" que Portugal precise de um novo resgate nos tempos mais próximos. Mas o frágil setor bancário continua a ser um risco.

A Moody's diz que o risco de Portugal precisar de um segundo resgate "não pode ser completamente descartado", mas acrescenta que a posição de financiamento do país é "muito confortável".

Ainda assim, o frágil setor bancário continua a ser um risco para o governo. Apesar do acordo entre a Comissão Europeia e Portugal,
que prevê uma injeção de 2700 milhões de euros na Caixa Geral de Depósitos, a agência de rating não vê com bons olhos essa recapitalização e continua a traçar um cenário sombrio para o país.

A Moody's classifica a dívida bancária portuguesa com um rating de lixo, Ba1, desde julho de 2014, e não tem prevista qualquer atualização para este ano.

  • Se o país voltar a sofrer um "mal maior" será por "ato deliberado" do Governo
    1:06

    País

    Pedro Passos Coelho diz que se o país tiver de recorrer novamente a um resgate financeiro, será por ato deliberado do Governo. No encerramento das jornadas parlamentares do PSD, sem nunca se referir às declarações do ministro das Finanças e sem nunca referir a palavra resgate, Passos Coelho defendeu que quem já passou por um "mal maior" não pode voltar a aceitar ingenuidades, distrações e incompetência.

  • Negócios do fogo
    22:00

    Reportagem Especial

    Todos os anos, o Estado gasta centenas de milhões de euros para financiar os meios de combate aos incêndios. A reportagem especial da SIC denuncia falta de rigor e clareza em muitos dos negócios.

  • Porque têm as tempestades nomes?
    0:49

    País

    As tempestades passaram a ter um nome, partilhado pelos serviços de meteorologia de Portugal, França e Espanha. Nuno Moreira, chefe de divisão de previsão meteorológica do IPMA, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias para explicar que este método é também uma forma de sinalizar a dimensão das tempestades.

  • "Não podemos gastar o dinheiro e depois os filhos e os netos é que pagam"
    2:05

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, o reembolso antecipado ao FMI. O comentador da SIC defendeu que seria mais vantajoso se Portugal reembolsasse mais depressa, antes da subida das taxas de juro. Miguel Sousa Tavares considerou ainda que o reembolso da dívida é uma boa notícia, pois seria "desleal" deixar a dívida para "os filhos e os netos" pagarem.

    Miguel Sousa Tavares

  • Os efeitos da tempestade Ana em Portugal
    1:43
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59

    Mundo

    A tempestade Ana não causou apenas estragos em Portugal, mas também na Galiza, com a queda de árvores e cheias nas zonas ribeirinhas. No norte da Europa, as baixas temperaturas provocaram fortes nevões e paralisaram a Grã-Bretanha, com voos cancelados, escolas fechadas e estradas cortadas.