sicnot

Perfil

Economia

FMI retoma financiamento da Ucrânia com mil milhões de dólares

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou esta quarta-feira que aprovou a concessão de mil milhões de dólares (890 milhões de euros) à Ucrânia, retomando o seu financiamento a este país, que estava suspenso devido a problemas na luta anticorrupção.

Em comunicado, o FMI indicou que tinha feito o segundo exame do plano de apoio à Ucrânia, aprovado em março de 2015, num total de 17,5 mil milhões de dólares, e que autorizou este novo financiamento, que eleva para 7,6 mil milhões o total já transferido.

O programa do FMI tem a pretensão formal de "apoiar o programa económico do governo, que pretende colocar a economia no caminho da recuperação, restaurar a sustentabilidade externa, reforçar as finanças públicas, manter a estabilidade financeira e apoiar o crescimento económico com reformas estruturais e de governação, protegendo ao mesmo tempo os mais vulneráveis".

A diretora do FMI, Christine Lagarde, destacou, no texto distribuído, que, da avaliação feita, constata-se que "apesar de o programa enfrentar riscos substanciais desde o seu início e de não ter atingido muitos dos seus objetivos, é visto como uma âncora importante num ambiente de incerteza".

Lusa

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.