sicnot

Perfil

Economia

Schulz defende revisão do código de conduta da UE

Martin Schulz, presidente do Parlamento Europeu.

© Handout . / Reuters

O presidente do Parlamento Europeu considera que a União Europeia (UE) deve rever o código de conduta depois da polémica causada pela ida de Durão Barroso para o Goldman Sachs. As declarações de Martin Schulz foram proferidas em entrevista ao jornal alemão Die Welt.

Jean-Claude Juncker anunciou esta semana que vai abrir uma investigação sem precedentes para averiguar as questões éticas que rodeiam a contratação do ex-presidente da Comissão Europeia pelo Goldman Sachs.

"Temos de adaptar o código de conduta de modo a esclarecer sobre o que é permitido aos ex-presidentes da Comissão Europeia e antigos comissários europeus", disse Schulz ao Die Welt.

O grupo bancário norte-americano contratou Barroso para consultor não executivo para a delegação de Londres, apenas duas semanas depois dos britânicos votarem a favor do Brexit. Durão Barroso afirmou que iria dar acompanhamento ao Goldman Sachs em questões relativas aos processo de saída da Grã-Bretanha da UE.

Questionado sobre se as atuais normas éticas da UE eram demasiado permissivas, Schulz respondeu: "Não são suficientemente precisas. É normal que um ex-presidente da Comissão Europeia procure trabalho. Não há problema se escrever livros ou for lecionar para uma universidade, mas é estranho que seja conselheiro do maior banco de investimento sobre a questão do Brexit".

Durão Barroso já se manifestou contra o que considera ser um comportamento "discriminatório" de Juncker, que afirmou que o ex-presidente da Comissão Europeia deixaria de ser tratado como tal. Bruxelas garante que quem for lobista será tratado como tal. Barroso enviou uma carta a Juncker, na qual se defende, dizendo que está a ser vítima de discriminação e que não é lobista.

  • Durão Barroso indignado escreve à Comissão Europeia
    1:55

    País

    A Comissão Europeia garante que quem for lobista será tratado como tal. A resposta de Durão Barroso a Bruxelas não tardou. O ex-presidente da Comissão, depois de ter sido contratado pelo Goldman Sachs, enviou uma carta a Jean-Claude Juncker, na qual se defende, dizendo que está a ser vítima de discriminação e que não é lobista.

  • Comissão Europeia diz que quem for lobista será tratado como tal
    0:19

    Economia

    Durão Barroso diz que outros ex-comissários, que foram para o setor privado, não foram tratados da mesma forma. Seria o caso de Mario Monti que também foi para o Goldman Sachs e de Nellie Kroes que foi para a Uber. O porta-voz da Comissão Europeia esclarece que quem for lobista será tratado como tal.

  • Durão Barroso perde privilégios em Bruxelas
    1:32

    Economia

    A Comissão Europeia quer ver o contrato de Durão Barroso com o Goldman Sachs e retirou-lhe os privilégios de ser recebido em Bruxelas como um ex-presidente do Executivo comunitário. O português passará a ser tratado em Bruxelas como lobista. Esta é a resposta de Jean-Claude Juncker à pressão da Provedora de Justiça Europeia.

  • Durão Barroso passa a ser recebido em Bruxelas como lobista
    1:50

    Economia

    Durão Barroso perde os privilégios de antigo presidente da Comissão Europeia. Passa a ser recebido em Bruxelas como um lobista, um representante de interesses. Todos os passos, contactos e encontros ficam documentados e passa a estar sujeito a uma série de obrigações para garantir a transparência da relação.

  • Bruxelas quer ouvir Barroso sobre trabalho no Goldman Sachs
    1:24

    Economia

    A Comissão Europeia pede que Durão Barroso dê mais esclarecimentos sobre o novo trabalho no Goldman Sachs. É a resposta de Jean-Claude Juncker à pressão da Provedora de Justiça Europeia. Numa carta a que a SIC teve acesso, Juncker diz ainda que Barroso deixa de ser recebido na Comissão como um ex-presidente, mas como um representante do grupo financeiro.

  • Drone inglês evita execução do Daesh na Síria
    2:08

    Mundo

    A Força Aérea britânica divulgou esta terça-feira um vídeo que mostra um drone a parar uma execução pública que estaria prestes a acontecer às mãos do Daesh, na Síria. As imagens, apesar de cortadas pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, mostram várias pessoas na rua, uma explosão e, depois, a fuga.

  • Atrás das Câmaras em Fátima
    2:48
  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15
  • PS quer reconquistar poder em Vila Viçosa
    2:06

    Autárquicas 2017

    Ana Catarina Mendes insistiu na ideia de que o PSD escolheu um modo perigoso de fazer campanha, ao insistir nas críticas à lei da imigração. Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunta do PS, esteve esta quarta-feira em campanha no distrito de Évora.

  • Troca de argumentos entre Medina e Cristas marca campanha em Lisboa
    2:34

    Autárquicas 2017

    Esta quarta-feira o dia de campanha em Lisboa ficou marcado por uma troca de argumentos entre Fernando Medina e Assunção Cristas. O atual presidente da Câmara acusa a candidata do CDS de não respeitar os lisboetas por admitir que pode não exercer o cargo de vereadora até ao fim do mandato. Já Assunção Cristas garante que se for eleita cumpre o mandato até ao fim.

  • "Não toleramos ameaças de ninguém"
    2:13
  • Número de tartarugas marinhas está a aumentar

    Mundo

    O número de tartarugas marinhas está a crescer, levando investigadores a considerar que os esforços para salvar estes animais são uma "história de sucesso da conservação global", indica um estudo divulgado esta quarta-feira.

  • Tubarões vivem mais tempo do que se pensava

    Mundo

    Uma revisão de dados sobre avaliação da idade dos tubarões revela que muitas espécies têm maior longevidade do que se pensava, o que poderá obrigar a uma revisão dos planos de conservação das mais ameaçadas.

  • Como mudar um templo com 135 anos e 2 mil toneladas... de lugar

    Mundo

    Um templo budista do século XIX é um dos mais populares em Xangai, na China. Visitado diariamente por milhares de pessoas, precisava de ser relocalizado para evitar que uma tragédia acontecesse. E mesmo pesando cerca de duas mil toneladas, a missão acabou por se provar possível.

  • Casal morre com horas de diferença depois de 75 anos de casamento

    Mundo

    George e Jean Spear morreram no passado dia 15 de setembro, no hospital de Queensway Carleton, em Ottawa (Canadá), depois de terem celebrado 75 anos de casamento em agosto. A britânica de 94 anos conheceu o candaniano em 1941, num salão de bailes, em Londres. George Spear servia as Forças Armadas durante a Segunda Guerra Mundial.

    SIC