sicnot

Perfil

Economia

Metro de Lisboa com mais 9,3% de passageiros face a 2015

© Reuters

O Metropolitano de Lisboa contrariou este ano a tendência de quebra na procura que sofreu desde 2010, tendo transportado entre janeiro e agosto mais 9,3% de passageiros do que no mesmo período de 2015, disse o presidente da empresa.

"De janeiro a agosto, o metro transportou mais 9,3% de passageiros do que no mesmo período do ano passado. É uma performance francamente boa, com bom crescimento de passageiros face ao ano anterior", disse Tiago Farias, presidente da Transportes de Lisboa.

O metro "andou a perder passageiros de forma contínua" desde 2010, o administrador afirmou que a empresa está este ano "com um crescimento muito acentuado de passageiros".

"Veja-se o potencial que tem como instrumento de transporte da cidade de Lisboa quando ganhar outra vez maturidade em termos da fidelidade que queremos", acrescentou.

Questionado sobre a taxa da fraude sofrida pela empresa, o responsável disse que se situa nos 7,5% e que existem fiscais nas estações para detetar quem entra sem pagar.

Sobre os futuros investimentos, Tiago Farias sublinhou que a estratégia da tutela é avançar nos próximos anos com o reforço da rede dentro da cidade e menos para fora da cidade.

Nesse sentido, as estações do Rato (Linha Amarela) e a do Cais do Sodré (Linha Verde) vão ser ligadas, porque assim "toda a rede fica mais integrada".

Em estudo está a expansão da Linha Vermelha, que agora termina em São Sebastião, até Campo de Ourique.

Entretanto, para o próximo ano, estão já previstas várias obras de reabilitação, que devem arrancar no primeiro trimestre na estação dos Olivais, com uma duração prevista de 13 meses, devido a "um problema complexo de infiltrações".

No segundo semestre de 2017 devem começar, também, as obras no átrio norte do Areeiro e a reconstrução da estação de Arroios, "que é crucial", afirmou.

Tiago Farias adiantou que a obra em Arroios irá durar 18 meses, durante os quais a estação estará fechada.

"Fizemos uma análise detalhada do impacto que isso tem, que é muito reduzido, porque há uma estação a 400 metros e outra a 350 metros. São distâncias que ficam encurtadas, porque as pessoas podem fazer diagonais", acrescentou.

Para o presidente do metro, a obra de Arroios é "muito importante, porque permite ter a Linha Verde com [comboios de] seis carruagens [atualmente tem três]".

Além disso, o metro tem um programa de revitalização de estações mais antigas, em que todas passam a ter elevadores, sendo a primeira a do Colégio Militar/Luz (Linha Azul), estando previsto que a obra se inicie a partir do segundo semestre de 2017.

Questionado sobre as permanentes avarias verificadas nas estações, Tiago Farias desvalorizou, afirmando que a situação está "muito melhor" e afirmou que, dos 100 elevadores que existem, "há zero avariados ou um".

"Das 245 escadas e tapetes rolantes, hoje nove não estão a funcionar, duas das quais no Rato", disse o administrador, explicando que são escadas com dezenas de anos e com "arranjos muito complexos, [por exemplo] porque a peça que avariou já não existe e está a ser feita por medida".

Com Lusa

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • Governo formaliza pedido para pagamento antecipado ao FMI
    0:34

    Economia

    Mário Centeno formalizou esta terça-feira o pedido aos ministros europeus das Finanças para que autorizem o pagamento antecipado de dez mil milhões de euros ao FMI. Em entrevista à Bloomberg, o ministro descartou ainda qualquer renegociação da dívida portuguesa após a saída do Procedimento por Défice Excessivo (PDE). No final da reunião do ECOFIN, foi o Secretário de Estado Mourinho Félix quem falou aos jornalistas portugueses.

  • Governo garante que não autoriza despedimentos na PT
    2:27

    Economia

    O primeiro-ministro garantiu esta terça-feira no debate quinzenal, que não dará luz verde a eventuais despedimentos na PT. António Costa disse ainda que o país tem pouca margem orçamental, apesar da saída do Procedimento por Défice Excessivo.

  • Donald Trump já está no Vaticano 
    1:32