sicnot

Perfil

Economia

Fed mantém taxas de juro e revê em baixa previsão de crescimento

A Reserva Federal (Fed), banco central dos Estados Unidos, anunciou esta quarta-feira que decidiu deixar as suas taxas de juro inalteradas e reviu em baixa a previsão de crescimento para 2016 fixando-a em 1,8%.

Segundo um comunicado divulgado após uma reunião que começou na quarta-feira, a Fed indicou que, apesar de deixar as taxas de juro inalteradas (entre 0,25% e 0,50%), considera que os argumentos para uma subida "se reforçaram".

Três membros do comité de política monetária votaram contra esta decisão e defenderam que a subida devia ser já. A maioria dos membros prevê, no entanto, uma subida de 0,25 pontos percentuais até ao fim do ano.

Há três meses, as previsões do banco central norte-americano apontavam para um crescimento de 2% em 2016 e em 2017, mas para este ano a Fed passou agora a previsão para 1,8%, mantendo a de 2017.

O banco central norte-americano também se mostrou ligeiramente mais pessimista quanto ao emprego e previu que a taxa de desemprego nos Estados Unidos fique em 4,8% este ano, quando em junho previra 4,7%. Atualmente a taxa de desemprego nos Estados Unidos está em 4,9%.

A Fed continua a prever que o desemprego desça para 4,6% no próximo ano.

Lusa

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.