sicnot

Perfil

Economia

Portugal tenta hoje arrecadar 1.750 M€ em leilões de Bilhetes de Tesouro

Portugal vai hoje ao mercado para tentar arrecadar até 1.750 milhões de euros através de dois leilões de Bilhetes de Tesouro, a seis e 12 meses, segundo a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP).

Os dois leilões das linhas de Bilhetes de Tesouro (BT) realizam-se pelas 10:30 e têm maturidades a 17 de março de 2017 (seis meses) e a 22 de setembro de 2017 (um ano), com um montante indicativo global entre 1.500 milhões e 1.750 milhões de euros.

Em julho, nos últimos leilões de BT comparáveis, Portugal conseguiu colocar 554 milhões de euros a seis meses a uma taxa de juro de -0,003% e 1.360 milhões de euros a 12 meses com uma taxa de juro de 0,038%.

Na altura, o montante colocado superou o montante global indicativo, entre 1.500 e 1.750 milhões de euros e as taxas de colocação foram mais baixas.

Os leilões de hoje já estavam previstos no programa de financiamento do IGCP do terceiro trimestre, sendo que esta é a terceira vez que a agência liderada por Cristina Casalinho vai ao mercado para financiamento de curto prazo desde julho, tendo conseguido arrecadar um total de 3.204 milhões de euros nas duas idas ao mercado anteriores.

Lusa

  • Presidente da IPSS "O Sonho" garante que vai demitir-se
    0:57

    País

    A PJ de Setúbal fez esta sexta-feira buscas em três instituições de solidariedade social e em casas particulares ligadas à IPSS "O Sonho", por suspeitas de peculato de uso, fraude na obtenção de subsídios e falsificação de documentos. O presidente da associação nega as suspeitas e diz que está de "consciência tranquila". Florival Cardoso, que é o principal visado na investigação, fala sobre uma "caça às bruxas" e garante que vai demitir-se, porque considera que está a ser cometida uma "enorme injustiça".

  • "Situação humanitária dos civis em Ghouta é aterradora"
    0:49

    Mundo

    O enviado especial da ONU para a Síria lançou esta sexta-feira um novo apelo a um cessar-fogo. O responsável está particularmente preocupado com a situação da população civil e diz que é preciso evitar que se repita em Ghouta o que se passou em Alepo.

  • Instantes de uma noite de futebol europeu
    0:41
  • Não dá mais, Brasil!
    18:00