sicnot

Perfil

Economia

Bruxelas analisa informação enviada por ex-comissária sobre documentos das Bahamas

A Comissão Europeia vai analisar as informações prestadas pela ex-comissária europeia Neelie Kroes, que terá administrado uma empresa sediada numa offshore, nas Bahamas, entre 2000 e 2009, em violação do código de conduta do executivo comunitário.

"Vamos analisar e verificar a informação antes de fazermos quaisquer comentários", disse, na conferência de imprensa diária, o porta-voz da Comissão Europeia, Margaritis Schinas.

A ex-comissária europeia já fez chegar a Bruxelas esclarecimentos sobre as suas atividades como administradora de uma sociedade offshore sediada nas Bahamas, entre 4 de julho de 2000 e 1 de outubro de 2009, quando tinha a pasta da Concorrência, na Comissão Barroso.

Neelie Kroes violou o código de conduta dos comissários europeus pelo simples facto de não ter comunicado esta atividade na declaração de interesses.

Novas revelações feitas sobre praças financeiras offshore, desta vez sobre as Bahamas, em particular sobre administradores de empresas aqui sediadas, indicam a presença de 28 portugueses, uma ex-vice-presidente da Comissão Europeia e uma ministra britânica.

A informação, disponibilizada em Portugal nos sites do Expresso e da TVI, respeita a "1,3 milhões de ficheiros relativos a 176 mil companhias e incluem os nomes de 25 mil administradores e funcionários nomeados por essas (sociedades) offshore ao longo dos anos", indicou o semanário.

Os dados foram recebidos pelo jornal alemão Suddeutsche Zeitung e o Consórcio Internacional dos Jornalistas de Investigação, baseado em Washington, que os estão a divulgar na internet.

Lusa

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.