sicnot

Perfil

Economia

Costa lembra que Passos defendeu maior taxação sobre património e imóveis de luxo

O primeiro-ministro, António Costa, disse esta quinta-feira que o presidente do PSD defendeu em 2014 a taxação sobre património e imóveis de luxo, considerando então que este era "um bom princípio social-democrata".

"É tão evidente que até o doutor Pedro Passos Coelho estava de acordo", afirmou António Costa, que falava no parlamento sobre um debate que tem marcado a agenda política nos últimos dias, a eventual criação de um imposto sobre o património imobiliário a incluir no Orçamento do Estado (OE) para 2017.

Costa respondia a perguntas da coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, e - definindo-se como um "moderado social-democrata desde os 14 anos" -, aproveitou para recordar palavras do líder do PSD, e ex-primeiro-ministro, proferidas em 2014 num congresso do PSD.

Já Catarina Martins teceu palavras sobre o que diz ser a "desculpa de sempre" da direita quando se avançam impostos sobre património ou imóveis de luxo: "É sempre assim. Sempre que há uma medida para combater privilégios, a direita dirá que isso faz perder investimento. É a desculpa de sempre".

O chefe do Governo criticou também PSD e CDS-PP por agora se mostrarem preocupados com, por exemplo, uma eventual quebra no investimento, mas terem sido os partidos "que mais aumentaram a carga fiscal sobre a classe média e sobre o património imobiliário".

"Não podemos aumentar a carga fiscal, mas temos de ter uma maior justiça na distribuição da carga fiscal", advertiu o primeiro-ministro.

E concretizou: "Há outras fontes de rendimento, outras formas de tributação que têm de ter maior peso para que possamos ter menor tributação nos rendimentos do trabalho.".

A coordenadora do Bloco reiterou ainda na sua intervenção em plenário a defesa do partido por um "aumento real das pensões" no Orçamento para 2017, declarando ainda que o documento está a ser negociado e os bloquistas bater-se-ão pelas suas ideias junto do Governo e do PS.

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa para receber dois beijos. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.