sicnot

Perfil

Economia

INE divulga hoje défice até junho

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulga hoje o valor do défice na primeira metade de 2016 em contas nacionais, sendo que a meta do Governo para o conjunto do ano é reduzi-lo para os 2,2% do PIB.

De acordo com o calendário da entidade estatística, o INE deverá enviar hoje para Bruxelas a segunda notificação do Procedimento dos Défices Excessivos (PDE), em que divulga o défice registado até junho.

No início de setembro, a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) calculou que o défice orçamental se tenha situado nos 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB), em contas nacionais (a ótica que conta para Bruxelas), uma "melhoria face ao período homólogo".

A estimativa dos técnicos independentes que apoiam o parlamento apontava para que o défice tivesse ficado num intervalo entre os 2,2% e os 3,2% do PIB até junho, sendo o valor central desta projeção os 2,7%.

Verificando-se a projeção da UTAO, isso significa que o défice até junho apresentou um "desvio desfavorável" face ao objetivo assumido no Orçamento do Estado para 2016 (OE2016), calculando a UTAO que este desvio é de "cerca de 0,3 pontos percentuais do PIB por comparação com o objetivo para o défice ajustado de medidas 'one-off' (2,4% do PIB)" e de cerca de "0,5 pontos percentuais do PIB considerando o objetivo para o défice não ajustado (2,2% do PIB)".

No mesmo sentido, a UTAO destacou que, confirmando-se um défice de 2,7% na primeira metade do ano, este valor está "acima do limite de 2,5% do PIB recomendado" por Bruxelas aquando da decisão de cancelamento da multa no âmbito do Procedimento dos Défices Excessivos, em agosto.

Entretanto, o primeiro-ministro, António Costa, afirmou na quinta-feira, no parlamento, que o défice deste ano "ficará claramente abaixo dos 3% do PIB" e que o Governo "com conforto" espera que o défice seja "inferior a 2,5%" do PIB em 2016.

Lusa

  • FMI exige mais austeridade a Portugal

    Economia

    O Fundo Monetário Internacional (FMI) insiste que são precisas "mais medidas adicionais" para que Portugal cumpra a meta do défice com que se comprometeu para este ano, de 2,2% do Produto Interno Bruto (PIB). Recomenda que o Governo aplique medidas de austeridade de 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB), cerca de 900 milhões de euros, no próximo ano, focando-se nos salários e pensões da função pública.

  • PM confiante que défice será inferior a 2,5%

    País

    O primeiro-ministro manifestou-se hoje confiante que o défice deste ano, "com conforto", será inferior a 2,5%, num discurso em que afirmou que o seu Governo, "depois do tempo das urgências", entrou agora na resposta aos bloqueios estruturais. Veja aqui em direto.

  • Moscovici avisa que próximos meses são decisivos para Portugal
    1:35

    Economia

    Pierre Moscovici avisa que os próximos meses vão ser decisivos para Portugal mas mostra-se confiante no trabalho das autoridades portuguesas. O comissário europeu para os assuntos económicos admitiu, esta quarta-feira, que Bruxelas possa levantar a suspensão dos fundos estruturais, caso o Governo cumpra a meta do défice.

  • Nem 2,7% nem sequer 3%
    0:33

    Economia

    Maria Luís Albuquerque não acredita que o Governo consiga alcançar a meta do défice prevista para este ano. Declarações da ex-ministra das Finanças ao Negócios da Semana da SIC Notícias​.

  • Conselho de Finanças Públicas aponta para défice de 2,6% em 2016
    1:18

    Economia

    O Conselho de Finanças Públicas (CFP) estima que o défice orçamental represente 2,6% do PIB em 2016 e 2,7% em 2017, caso o Governo não introduza novas medidas, projeções aquém das metas definidas para os dois anos. Teodora Cardoso alerta para os riscos que a economia portuguesa corre no cumprimento das metas do défice, do PIB e do crescimento económico.

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa para receber dois beijos. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.